21°
Máx
17°
Min

Delator da Operação Lava Jato cita Gleisi Hoffmann

(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil) - Delator da Operação Lava Jato cita Gleisi Hoffmann
(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

A revista Veja, em sua versão online, traz uma matéria sobre a delação do ex-vereador de Americana (SP), Alexandre Romano. Ele foi alvo da Operação Lava Jato em 2015, após o Ministério Público Federal ter detectado que Romano arrecadou mais de R$ 50 milhões em propina a partir de contratos de empréstimos consignados no Ministério do Planejamento. O esquema envolveria pagamentos por meio de empresas de fechada e emissão de notas fiscais falsificadas para desvio de dinheiro público.

Segundo a revista, na delação premiada de Romano, homologada recentemente pela Justiça, existem detalhes sobre transações envolvendo a senadora e a ex-ministra Gleisi Hoffmann (PT-PR).

O ex-vereador teria afirmado que parte do dinheiro saiu de um contrato firmado nos Correios, estatal vinculada ao Ministério das Comunicações, comandado por anos por Paulo Bernardo, marido de Gleisi, que também é apontado como beneficiário do desvio de recursos. O dinheiro teria sido repassado pelo advogado Guilherme Gonçalves, que também vem sendo investigado.

Ainda de acordo com a revista, os recursos chegaram à campanha de Gleisi por meio de um contrato fictício firmado com um escritório de advocacia.

As investigações quanto ao envolvimento de Gleisi estão no Supremo Tribunal Federal (STF) porque ela tem foro privilegiado.

A Veja cita que a senadora, em nota, reafirma que não conhece e não teve nenhum contato com Alexandre Romano. "Nega veementemente que tenha recebido qualquer quantia não declarada ou de caixa 2 para quaisquer de suas campanhas. Todos os valores utilizados em suas campanhas foram declarados nas prestações de contas que estão disponíveis no Tribunal Superior Eleitoral", cita a nota, transcrita na matéria.

A reportagem completa está no site da revista Veja.