22°
Máx
16°
Min

Delcídio fora abre caminho para Pedro Chaves, ligado a Bumlai

A cassação do senador Delcídio Amaral (ex-PT-MS) abre caminho para seu primeiro suplente, o empresário Pedro Chaves dos Santos Filho. Filiado ao PSC, Pedro Chaves atua no ramo da educação e entrou na política em 2010, quando foi candidato à suplência na chapa de Delcídio. O mandato que o empresário deve assumir dura até 2019.

Delcídio Amaral foi cassado nesta terça-feira, 10, por 74 votos a 0 por quebra de decoro. Em 25 de novembro de 2015, o então senador foi preso por tentar barrar a Operação Lava Jato. Delcídio foi solto após fechar um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República.

Pedro Chaves é ligado à família do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula.

Bumlai foi preso em 24 de novembro também na Lava Jato. Uma filha de Pedro, Neca Chaves Bumlai, é casada com Fernando Bumlai, filho de José Carlos Bumlai e um dos gestores da Usina São Fernando.

Atualmente, Pedro Chaves é diretor-presidente da Master Class Participações e Assessoria, vice-presidente da Associação Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul, conselheiro do Instituto Sul Matogrossense de Ensino Superior (ISES) e diretor do Conselho do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.

O empresário também preside o Conselho Deliberativo do Centro Universitário IESB, de Brasília e diretor-geral da Moderna Associação Campograndense de Ensino (MACE).

De acordo com o site do Senado, Pedro Chaves é casado e nasceu em 1940, na cidade de Campo Grande (MS). Formado em Economia e Engenharia Econômica pela Unicamp, é mestre em Economia pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe).

"A carreira de empresário começou em 1971, quando assumiu a direção de uma escola particular de Campo Grande. Anos depois, criou o Centro de Ensino Superior de Campo Grande (Cesup), transformado mais tarde na Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp). Foi reitor da Uniderp até outubro de 2006, quando vendeu a instituição para o grupo Anhanguera Educacional, de São Paulo", informa o Senado.

Em novembro de 2013, Pedro Chaves assumiu a Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais de Campo Grande. Ficou no cargo até março do ano seguinte.

Delcídio foi o terceiro senador cassado desde a redemocratização. Os outros dois casos foram o do ex-senador Luiz Estevão (ex-PP e ex-PMDB), o primeiro a sofrer a sanção, em junho de 2000, e de Demóstenes Torres (ex-DEM). Nos três casos o motivo foi o mesmo, quebra de decoro parlamentar.

A delação de Delcídio foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal. No acordo, o ex-senador fez acusações contra a presidente da República Dilma Rousseff, seu vice Michel Temer, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a cúpula do PMDB no Senado, incluindo Renan Calheiros, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o presidente do PSDB Aécio Neves.

Suas acusações estão entre as mais fortes de toda a Lava Jato e deram origem a dezenas de inquéritos perante o Supremo Tribunal Federal contra políticos da base e da oposição do governo federal.