20°
Máx
14°
Min

Delgado compara Cunha a 'laranja podre' e alerta para risco de 'contaminação'

(Foto: Lula Marques/Agência PT) - Delgado compara Cunha a 'laranja podre' e alerta para risco de 'contaminação'
(Foto: Lula Marques/Agência PT)

O deputado Julio Delgado (PSB-MG), adversário de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta terça-feira, 7, que não faltam motivos para que o mandato do presidente afastado da Câmara seja interrompido. Depois de argumentar a favor do relatório que pede a cassação de Cunha, durante reunião do Conselho de Ética que vai decidir o futuro do peemedebista, Delgado disse que é preciso espírito público e não espírito de porco. "Estamos num cesto de laranja e há uma laranja podre que pode contaminar todo o cesto."

Delgado disse que o real motivo da não declaração dos recursos de Cunha no exterior é a origem do dinheiro. "A atividade parlamentar não justifica o aumento do patrimônio do parlamentar", destacou, enumerando as contas do peemedebista e de sua mulher, Claudia Cruz, no exterior, com valores e histórico. E defendeu que truste significa que Cunha é detentor dessas contas na Suíça, ironizando: "Um truste não passeia por Paris."

Aliado de Cunha no Conselho de Ética, o deputado Sérgio Moraes (PTB-RS) lembrou casos de deputados que foram julgados no Conselho de Ética e depois foram inocentados pela Justiça, para defender o peemedebista. Em seu discurso, ele disse: "Aqui só temos barulho, manchetes de jornais. Não sou a favor de ninguém. Sou só homem suficiente para falar a verdade. Não me interessa o que vão dizer as ruas", frisou, dizendo que no seu entender não há provas contra Cunha e, portanto, ele vai votar contra o relatório e não a "favor dos ventos, influenciado pela imprensa". Em sua fala, Moraes criticou os parlamentares que, no seu entender, estariam "jogando para a torcida".

O deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) disse, depois de fazer sua explanação, que não resta ao Conselho de Ética outra alternativa, diante de fatos comprovados, de acompanhar o voto do relator Marcos Rogério (DEM-RO), que propôs a cassação do mandato do peemedebista por quebra de decoro parlamentar. "Eduardo Cunha foi beneficiário e beneficiado por recursos oriundos da corrupção. Fatos devidamente esclarecidos neste processo não nos permitem outra conclusão a não ser acompanhar o voto do relator." e emendou: "a impunidade é a mãe da corrupção." Outro que diz que vai votar com o relator, a favor da cassação de Cunha, é o deputado Paulo Azi (DEM-BA).

Em sua fala, o deputado Vladimir Costa (SD-PA) disse que ouve nas ruas que Cunha teve a coragem de colocar o impeachment na ordem do dia e que só por isso ele deveria ter um indulto. "Eu discordo", disse o parlamentar. Ele comenta, contudo, que o peemedebista está pagando um alto preço por ter tirado um governo do PT "que roubou milhões". "Cunha paga um preço alto pela audácia de enfrentar o PT. O PT é um partido indecente, sujo, da vergonha, a maioria de seus integrantes são bandidos da maior periculosidade. Cunha teve a coragem, sim, de (iniciar processo) cassar Dilma e sepultar Lula", atacou, comparando o Partido dos Trabalhadores com traficantes como Pablo Escobar e Fernandinho Beira Mar. "99,9% dos petistas são bandidos da pior periculosidade. Eduardo Cunha teve coragem de combatê-los."