24°
Máx
17°
Min

Denúncia conta Lula repercute na imprensa internacional

A denúncia da Lava Jato contra o ex-presidente Lula e sua mulher Marisa Letícia apresentada nesta quarta-feira, 14, causou repercussão na imprensa internacional, que destacou o fato de o petista ser acusado de ser o "comandante máximo" do esquema de corrupção na Petrobras e como isso prejudica suas pretensões políticas de voltar à presidência em 2018 e do próprio PT.

O "The New York Times" destacou que a acusação dos investigadores não aponta que o ex-presidente teria recebido toda a propina sozinho e que ele foi responsabilizado também pelos valores ilegais recebidos por ex-diretores da estatal. O jornal americano também apontou que a propina de R$ 3,7 milhões atribuída ao ex-presidente destoa do montante que outros políticos foram acusados de ter desviado e lembra dos casos do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Já o britânico "The Guardian" apontou que o petista continua sendo um dos políticos mais populares do País mesmo com as acusações de corrupção e disse que essa acusação é a primeira de várias que Lula deve enfrentar nos próximos meses, trazendo grande desafio para o PT.

O americano "The Washington Post" lembrou que o ex-presidente já havia sido indiciado no escândalo envolvendo o tríplex no Guarujá (SP) no mês passado, e que a população já sabia que ele estava sendo investigado, mas que as acusações de quarta foram "muito mais sérias""e botam Lula no centro do escândalo.

O espanhol "El Pais", por sua vez, afirmou que o ex-presidente, que almeja voltar à Presidência, ficará nas mãos de seu "arquinimigo", o juiz Sérgio Moro, que vai analisar a denúncia e ser o responsável por julgar o caso.