22°
Máx
16°
Min

Deputado pede que artista morta preste depoimento na CPI da Lei Rouanet

O deputado Expedito Neto (PSD-RO) quer convocar a artista plástica Tomie Ohtake, morta em fevereiro do ano passado, aos 101 anos, para depor na CPI da Lei Rouanet. Na última sexta-feira, 16, o parlamentar se equivocou e incluiu o nome de Tomie na lista de representantes de instituições que mais receberam recursos por meio da lei de incentivo. Em São Paulo, há um instituto cultural, criado em 2001, que leva o nome da artista.

No requerimento do parlamentar, ele também pede a convocação de representantes da Aventura Entretenimento Ltda., do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, do Instituto Itaú Cultural e da T4F Entretenimento S.A.

"Requer a convocação dos representantes da Aventura Entretenimento Ltda., Sr. Luiz Calainho, Sócio Diretor, do Instituto Tomie Ohtake, Sra. Tomie Ohtake, do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, Sr. Miguel Gutierrez, Diretor Administrativo Financeiro, do Instituto Itaú Cultural, Sr. Roberto Egydio Setubal, Diretor Presidente e da T4F Entretenimento S.A. Fernando Luiz Alterio, Diretor Presidente para prestar depoimento perante esta Comissão Parlamentar de Inquérito", diz a solicitação.

Um dos argumentos para o pedido de abertura de CPI seria a concentração de benefícios a segmentos e beneficiários específicos, sugerindo que algumas áreas e alguns interessados são favorecidos nas aprovações, especialmente no eixo Rio-SP.

Em outro pedido, Expedito Neto também requer a convocação do ministro da Cultura, Marcelo Calero, para prestar depoimento à CPI. Já o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) quer convidar os ex-ministros Gilberto Gil e Juca Ferreira para depor.

Na semana passada, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) foi responsável por protocolar o primeiro requerimento da CPI, convocando o ator José de Abreu e a sua ex-mulher, Camila Mosquella, a prestarem depoimento na CPI. Sóstenes acusa os dois de estarem inadimplentes.