22°
Máx
16°
Min

Em entrevista à 'CNN', Temer reafirma legitimidade de impeachment contra Dilma

O vice-presidente Michel Temer voltou a afirmar nesta segunda-feira, 25, que o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff "não é um golpe". A entrevista de Temer para a emissora americana CNN ocorre depois de Dilma adotar a estratégia de procurar a imprensa internacional para denunciar um possível "golpe".

"No exterior, há uma impressão de que o Brasil é uma República em que poderia haver um golpe. É por isso que eu digo que não há um golpe nesse País, não há tentativa de violação do texto constitucional", disse Temer. A CNN destacou ainda o perfil discreto do vice-presidente, que não tem o hábito de conceder entrevistas a veículos de comunicação.

"O meu objetivo será unir as forças políticas e formar um bom governo para me aconselhar, garantir a governabilidade, ajudar a economia a se recuperar e colocar o País de volta aos trilhos", acrescentou Temer.

A correspondente da CNN Shasta Darlington afirmou que o Brasil está em "recessão profunda", sem "solução rápida". Ainda segundo ela, mesmo se houver mudança na Presidência, "o caos político vai continuar", com "protestos de ambos os lados". A jornalista lembrou também que as Olimpíadas ocorrem neste ano no Brasil.