22°
Máx
14°
Min

Em gravação, Renan indica advogado Ferrão como capaz de influenciar Teori

Em trecho da conversa gravada pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) indica ao ex-presidente da República José Sarney o advogado Eduardo Ferrão para tentar influenciar o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki a barrar a Operação Lava Jato.

Ferrão entraria como substituto do ex-ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha na tarefa de tentar convencer Zavascki a por fim na Lava Jato e evitar que o juiz Sérgio Moro mandasse Machado para a cadeia.

Na conversa ente os três, gravada no dia 10 de março pelo próprio Sérgio Machado, Sarney diz ao ex-presidente da Transpetro: "O Renan me fez uma lembrança que pode substituir o César. O Ferrão é muito amigo do Teori."

Renan adverte sobre a importância de a conversa ficar só entre ele, Sarney e Machado: "Tem que ser uma coisa muito confidencial, Sérgio. Só entre nós e o Ferrão."

Outro trecho da conversa gravada mostra que houve tentativa de se mudar a lei para prejudicar a Operação Lava Jato. Machado sugere: "outro caminho que tem que tem que ter. É a aprovação desse projeto de leniência na Câmara o mais rápido possível porque aí livra criminal, livra tudo." Sarney reponde: "Tem que lembrar o Renan disso. Para ele aprovar o negócio da leniência."

Os dois se referiam à Medida Provisória sobre acordo de leniência editada pelo Governo Dilma para facilitar as empresas envolvidas nas investigações da Lava Jato que admitirem culpa voltar a fazer negócios com o setor público. Só que depois do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público terem se posicionado contrários a MP foi substituída por um Projeto de Lei mais rígido.