23°
Máx
12°
Min

Em horário eleitoral, Haddad e Doria vão falar que são 'diferentes'

A partir desta sexta-feira, 26, os candidatos a prefeito e vereador terão até o dia 29 de setembro para pedir votos no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. Se os jingles lançados pelos candidatos Fernando Haddad (PT) e João Doria (PSDB), que disputam a prefeitura de São Paulo, forem usados nos programas, como falam as assessorias, os dois vão se apresentar ao eleitor como "diferentes".

Fernando Haddad, candidato à reeleição, lançou seu site nesta semana com peças que, segundo a campanha, poderão ser usadas no horário eleitoral. Ele terá dois minutos e 35 segundos. Em um vídeo publicado no Facebook, o petista fala que, enquanto é atacado com mentiras, irá usar o período para "disparar com realizações em cada área".

Em peças publicitárias publicadas no site, Haddad faz comparações de políticas do governo do Estado, comandado pelo tucano Geraldo Alckmin, com ações da gestão petista na capital. Cada peça traz a mensagem que votar em Haddad é "pensar diferente".

A música da campanha destaca uma cidade aberta para encontros, com menos desigualdades e "para todos". "Haddad, prefeito bom, esse é diferente, esse faz. Haddad, eu quero ele de novo porque eu quero mais", diz o refrão.

O empresário João Doria terá o maior tempo de propaganda e contará com três minutos e seis segundos para se dirigir ao eleitor. Por ser candidato pela primeira vez, Doria usará os primeiros programas para se apresentar e destacar sua trajetória como empresário. "Os programas iniciais serão voltados, basicamente, para a apresentação do candidato ao eleitor, registrando sua trajetória como empresário e sua experiência na administração pública", informou a campanha.

No setor público, ele já foi presidente da Paulistur, na gestão de Mario Covas na Prefeitura, e da Embratur, no governo Sarney em Brasília. Na música de campanha, o "cara que sabe o que faz" e que "é diferente" são os enfoques.

O candidato Celso Russomanno (PRB), líder nas pesquisas de intenção de voto, tem o quarto maior tempo, com um minuto e 12 segundos no horário eleitoral, e não respondeu sobre o conteúdo de seu programa. Nenhum vídeo ou jingle foi divulgado na internet até o momento. Russomanno tem se concentrado em destacar sua posição nas pesquisas, apresentar propostas e responder a comentários individuais de internautas.

Marta Suplicy, que concorre à Prefeitura pelo PMDB, afirmou por meio da assessoria de imprensa que não iria antecipar o conteúdo do programa no horário eleitoral. Ela terá um minuto e 57 segundos. O site da candidatura foi lançado nesta semana.

Dois vídeos com um minuto e 25 segundos dão sinais de como vai ser o tom das propagandas. Em um deles, é exibida a história da candidata e suas realizações como prefeita de São Paulo, destacando a construção dos Centros Educacionais Unificados (CEUs) e a implantação do Bilhete Único. Outro exibe um jingle que traz o tema "Eu vou com Marta" e o slogan de sua campanha, "Coragem pra Mudar". Imagens de trânsito, obras e passageiros mostrando o Bilhete Único são exibidas no clipe.

Luiza Erundina (PSOL), que terá dez segundos, disse que está "otimista" com o horário eleitoral apesar do pouco tempo. "Esperamos e entendemos que a população vai perceber que estamos sofrendo esse forte ataque e vai se solidarizar com que tem experiência e propostas para de fato mudar a cidade", disse através da assessoria. Ela não abriu detalhes do conteúdo do programa.

Um vídeo colocado em seu site com exatos dez segundos de duração mostra a candidata em seu apartamento com peças de Lego que formam seu nome e número de urna. Ela tem destacado nas redes sociais que seu "terreno é a rua".

No rádio, os programas serão veiculados das 7 horas às 7h10 e das 12 horas às 12h10. Na televisão, os materiais serão exibidos das 13 horas às 13h10 e das 20h30 às 20h40.