22°
Máx
16°
Min

Em nota, Ideli diz que suas doações foram legais

A ex-ministra Ideli Machado (PT-SC) afirmou em nota que as doações à sua campanha eleitoral ao governo de Santa Catarina em 2010 foram "declaradas e aprovadas pelos órgãos competentes, e que sua conduta pública é regida pelos princípios da ética, moral e legalidade".

Em nota, Ideli diz ainda que não faz declarações a respeito "de delações de réus confessos sem ter acesso ao texto". "Até porque na delação de um outro réu, ficou demonstrada de forma inequívoca que ele mentiu e assinou embaixo", diz a ministra, sem explicitar a que outro delator se refere.

Em sua delação premiada na Lava Jato, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado listou o nome de 20 políticos que teriam recebido propinas no esquema de corrupção na subsidiária da Petrobras e também o nome do presidente em exercício Michel Temer que, segundo o delator, teria pedido a ele doações para a campanha de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo em 2012. Na delação, Machado disse que repassou propina, via doação oficial, para Ideli.