22°
Máx
16°
Min

Em nota, ministro dos Transportes afirma que fica no cargo enquanto Dilma quiser

Em meio à debandada de ministros do governo após a aprovação pela Câmara dos Deputados da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o titular dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, emitiu nota na tarde desta quarta-feira, 20, garantindo que continua no cargo.

"O ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, reafirma seu compromisso com o Governo da presidenta Dilma Rousseff e esclarece que só deixará a Pasta quando a própria Presidenta assim decidir", diz o curto comunicado. Antes de assumir o ministério em janeiro de 2015 - no começo do segundo mandato de Dilma - Rodrigues (PR-SP) ocupou uma cadeira do Senado entre 2012 e 2014 por ser suplente da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), que comandava no período o Ministério da Cultura.

Mais cedo, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB-AM), entregou o cargo a Dilma e declarou que só voltará ao Senado após a votação da admissibilidade do impeachment na Casa, prevista para o dia 10 de maio. Há ainda a expectativa de que o ministro da Secretaria de Portos (SEP), Helder Barbalho, também deixe a pasta. Barbalho (PMDB-PA) não tem cargo no legislativo.