20°
Máx
14°
Min

Em nota, PMDB diz que sempre arrecadou recursos legalmente

O PMDB divulgou uma nota, nesta quarta-feira, 15, para rebater as acusações do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado envolvendo os cacique do partido. No texto, a legenda alega que "sempre arrecadou recursos seguindo os parâmetros legais". Entre os nomes citados na delação premiada de Machado, ele cita o presidente em exercício Michel Temer (SP), o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o senador Romero Jucá (RR), o senador Valdir Raupp (RO) e o ex-presidente José Sarney (AP).

"O PMDB sempre arrecadou recursos seguindo os parâmetros legais em vigência no país. Doações de empresas eram permitidas e perfeitamente de acordo com as normas da Justiça Eleitoral nas eleições citadas. Em todos esses anos, após fiscalização e análise acurada do Tribunal Superior Eleitoral, todas as contas do PMDB foram aprovadas não sendo encontrado nenhum indício de irregularidade", diz o texto.

Renan

Também por meio de nota, o presidente do Senado, Renan Calheiros, rebateu a delação de Machado. "O Senador Renan Calheiros reafirma que jamais recebeu recursos de caixa dois ou vantagens de quem quer que seja. Todas as doações de campanhas eleitorais ocorreram na forma da Lei, com as prestações de contas aprovadas pela Justiça", diz a nota.

O texto afirma que o senador não conhece Felipe Parente e nenhum dos filhos de Sérgio Machado. A nota também diz que Renan não indicou Sérgio Machado para a Transpetro.

De acordo com o texto, Renan se coloca à disposição para prestar outros depoimentos, caso necessário.