24°
Máx
17°
Min

Em rede social, Wagner diz que oposição não supera 'trauma' da derrota para Dilma

O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, voltou a se manifestar nas redes sociais nesta terça-feira, 23, e fez um duro ataque à oposição. Sem citar o nome do senador Aécio Neves (PSDB-MG), ele afirmou que o tucano "nunca vai superar o trauma" de ter sido derrotado pela presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014.

"Em vez de se preocupar com aquilo que interessa ao Brasil, que é recuperar a economia e gerar emprego, nossos adversários insistem na pauta única: tirar a qualquer custo a presidenta do poder. Mas a gente continua agindo com a mais absoluta tranquilidade porque temos certeza de que todas as contas de campanha foram feitas dentro daquilo que preceitua a lei", disse em suas contas do Twitter e Facebook.

O ministro afirmou que é preciso "ter calma" neste momento, e que apesar de a oposição não conseguir "vencer o trauma, o país precisa seguir seu rumo".

Mais cedo, Wagner já havia usado as redes sociais para defender que a 23ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na segunda-feira, não tinha como alvo as contas da campanha da reeleição de Dilma.

As declarações do ministro foram uma resposta às críticas de Aécio e às movimentações da oposição para trazer o processo de impeachment novamente para o centro do debate. A tese que vem sido defendida por eles é que a prisão do marqueteiro João Santana comprova que houve recursos desviados da Petrobras abastecendo a campanha da petista.