22°
Máx
14°
Min

Em reunião de coordenação política, Dilma discute 'pauta-bomba'

(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR) - Em reunião de coordenação política, Dilma discute 'pauta-bomba'
(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Dez ministros e os líderes do governo participaram de reunião de coordenação política comandada pela presidente Dilma Rousseff na manhã desta terça-feira, dia 8.

Ontem, Dilma fez uma reunião de coordenação de emergência mais "enxuta" para analisar a agenda de votações no Congresso e debater a questão das manifestações marcadas para o próximo domingo, 13. A presidente teme que uma escalada de violência entre manifestantes pró e contra o governo ampliem ainda mais a crise política.

Em relação às pautas do Congresso, a que mais preocupa o governo é a Proposta de Emenda à Constituição 1/2015, a chamada PEC da Saúde, que aumenta de 15% para 19,4% da Receita Corrente Líquida (RCL) o porcentual mínimo que a União é obrigada a investir em saúde.

O governo é contra a matéria, pois argumenta que a "pauta-bomba" traz impacto de R$ 15 bilhões no próximo ano e R$ 207,1 bilhões até 2022, quando o porcentual máximo é atingido.

Segundo interlocutores do governo, a avaliação é de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tem usado o cargo para fazer o enfrentamento e, ao mesmo tempo, tentar se proteger do processo de cassação, depois que virou réu na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele nega ter recebido as vantagens ilegais.