26°
Máx
19°
Min

Em segunda votação, vereadores vetam o Uber

(Foto: Divulgação/Luiz Mandelli/Rede Massa) - Em segunda votação, vereadores vetam o Uber
(Foto: Divulgação/Luiz Mandelli/Rede Massa)

A segunda votação do projeto de lei que considera a prestação de serviços pelo aplicativo Uber em Curitiba irregular, foi de ânimos exaltados e de discussões na Câmara de Vereadores, na manhã desta terça-feira (12), aliás, acabou seguindo a mesma linha da primeira votação, ocorrida nesta segunda-feira (12).

A diferença entre as votações, foi que ontem três vereadores foram contrários ao projeto, Jonny Stica (PDT), Pier Petruzziello (PTB) e Bruno Pessuti (PSD). Hoje, mais um vereador aderiu a contrariedade, Tiago Gevert (PSC), que justificou seu voto dizendo que “ouviu a população”. “Diante da situação, fiz uma enquete com a população, que apontou que 90% dos participantes, eram favoráveis a presença do aplicativo na cidade, por este motivo, ouvindo a vontade da população, mudei meu voto”, relatou.

Apesar da aprovação da lei, existe a questão da inconstitucionalidade, uma vez que existe Lei Federal que libera o uso do aplicativo. No entanto, um dos autores da Lei, o vereador Jairo Marcelino (PSD), diz que não teme ações neste sentido. Para ele, o ponto de discussão sobre como a multa deverá ser aplicada, também não tem validade. “É uma atribuição do município, pela placa do carro não daria, mas cabe ao município encontrar uma forma de cobrar”, afirmou.

Ele ainda enfatizou que o projeto não versa especificamente sobre o Uber, e sim, sobre todos os aplicativos que não tenham regulamentação. “Estamos defendendo o interesse da população que paga imposto, que oferece o serviço regularizado. Esse Uber nem recibo pode oferecer, se acontecer um acidente o seguro não paga”, diz. “Estamos tranquilos com a aprovação da lei”.

Atualização

A Assessoria de Comunicação do Uber, enviou nota a Redação do Massa News sobre a aprovação pelos vereadores da Lei que proíbe o aplicativo de funcionar na cidade. Conforme a assessoria, "a lei ainda depende da decisão do prefeito Gustavo Fruet". Ainda para a assessoria, " Este resultado mostra como o Legislativo está desconectado da realidade da população, que busca novas formas de se movimentar pela cidade e também novos meios de gerar renda. A rede Uber continua operando normalmente em Curitiba".

Colaboração Luiz Mandelli/Rede Massa