22°
Máx
17°
Min

Empreiteira afirma que não recebe da Prefeitura de Curitiba desde abril e que as obras podem parar

(Foto: Divulgação) - Fruet atrasa pagamento e obras da Linha Verde podem ser paralisadas
(Foto: Divulgação)

A empreiteira responsável pela obra da Linha Verde Norte ameaça paralisar a revitalização em razão de atraso nos pagamentos por parte do prefeito Gustavo Fruet (PDT). As informações são do Blog do Fábio Campana. O montante a ser recebido chega a R$ 4 milhões. Em função do valor pendente, explica um dos sócios, empresas interromperam o fornecimento de materiais para a empreiteira, que diz não ter condições de continuar tocando a obra. A empreiteira já deve R$ 600 mil à fornecedora de pedras. O pagamento não cai na conta desde abril. A entrega do material teve que ser interrompida há mais de dois meses.

Com tudo isso, a empresa que fornece combustível para o maquinário já avisou que a partir de segunda-feira, a parceria com a empreiteira está suspensa até que os R$ 220 mil em atraso caiam na conta.

A obra da Linha Verde Norte tem cerca de 3 quilômetros de extensão, entre o Viaduto do Tarumã, na Avenida Victor Ferreira do Amaral, e o Conjunto Solar, no Bacacheri. A revitalização deveria ter começado a sair do papel em abril de 2015, mas os operários só iniciaram o trabalho em dezembro passado. A expectativa era de que tudo ficasse pronto um ano depois, ou seja, daqui 3 meses, mas a empreiteira já alertou que o cronograma não será cumprido. A nova estimativa é metade de 2017, isso se os pagamentos forem regularizados por parte da Prefeitura de Curitiba.

A reforma da Linha Verde Norte deve custar quase R$ 47 milhões e inclui a ampliação do número de pistas, canaleta para ônibus do transporte coletivo, calçadas, ciclovias e bicicletários. A reportagem não conseguiu falar com nenhum representante da Caixa Econômica Federal por conta da greve dos bancários.

Colaboração Fábio Campana