24°
Máx
17°
Min

Empréstimo de R$ 102,8 milhões à Prefeitura é aprovado em segundo turno

(Foto: Divulgação) - Empréstimo de R$ 102,8 milhões à Prefeitura é aprovado em segundo turno
(Foto: Divulgação)

Oito projetos entraram na ordem do dia, na sessão ordinária da Câmara de Vereadores. O primeiro deles, foi aprovado em segundo turno, sem debates e que garantiu o empréstimo de R$ 102,8 milhões do Banco do Brasil para a Prefeitura de Curitiba. O valor, deve ser usado como contrapartida em três obras diferentes, sendo a complementação da Linha Verde, que devem demandar R$ 41,77 milhões; a ampliação do BRT, com R$ 40,050 milhões e a linha direta Inter 2, com R$ 21,050 milhões.

O vereador Professor Galdino (PSDB), assim como na primeira votação, foi contrário à aprovação do empréstimo e disse que para ele, “o empréstimo é uma tentativa de impulsionar a reeleição do prefeito”.

O segundo projeto do dia, que entrou em primeiro turno, é de autoria da vereadora Julieta Reis (PSC), que prevê a presença de vigilantes mulheres nos bancos de Curitiba. A representante do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região, Amanda Maister, declarou apoio da categoria ao projeto, que foi aprovado por unanimidade pelos presentes.

A sessão foi suspensa para que os vereadores pudessem receber a miss Curitiba Universo, Aline Provenzi, que vai representar a cidade no concurso miss Paraná.

Na volta aos trabalhos, o projeto de Dirceu Moreira (PSL), que denomina de Praça Bela Vista do Passaúna, a praça do Bairro São Miguel, foi aprovado em primeira votação, por 24 votos.

O projeto do vereador Chicarelli (PSDC), que pretende aumentar o valor da multa por depredação ao patrimônio público, veio na sequência. O projeto entrou na pauta da sessão de segunda-feira (13), mas foi adiado para hoje (14), a pedido do autor. O texto previa que o valor atual de R$ 1 mil, fosse reajustado para R$ R$ 1,6 mil. Mas, com o substitutivo apresentado por Chicarelli, o valor passa a R$ 1,9 mil. Em primeiro turno, foi aprovado.

Sem debates, o projeto de autoria do Executivo, que pede autorização para vender área pública no Bairro Campo Comprido, foi aprovado. Assim como o projeto do vereador Pedro Paulo (PDT), que denomina bem público de Eduardo Galeano e o do vereador Jairo Marcelino (PSD), que dá nome de José da Silveira a bem público. Para encerrar as votações, o projeto da vereadora Noêmia Rocha (PMDB) que declara de utilidade pública a Associação Missionária Cristã, teve aprovação dos presentes.