21°
Máx
17°
Min

Erundina: Falar em 'Fora Temer' e 'Fora Cunha' é dar sentido à campanha municipal

Enquanto algumas campanhas à Prefeitura de São Paulo se focam em questões municipais, como velocidade das marginais Tietê e Pinheiros ou atendimento nos hospitais, o PSOL aposta no "Fora Temer" e "Fora Cunha" quase como um de seus motes. Nesta quinta-feira, 8, a candidata socialista Luiza Erundina fez uma panfletagem na Avenida Paulista contra o presidente Michel Temer e pedindo a cassação do deputado afastado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

O ato também contou com a presença do candidato a vice de Erundina e deputado federal Ivan Valente (PSOL), além de mais 15 militantes. O grupo passou a manhã distribuindo panfletos, gritando ao microfone palavras de ordem sobre o "novo plano econômico, que é contra o povo brasileiro" e levando faixas "Fora Temer" e "Fora Cunha" para a rua. Erundina, que já foi prefeita da capital de 1989 a 1992, chegou no final do protesto.

Questionada se isso poderia ajudá-la nas eleições municipais, chamando atenção para o partido e sua campanha, que tem apenas dez segundos de propaganda na TV, Erundina rebate: "Tratar desses temas é dar sentido à campanha municipal".

"Isso aqui não é uma cidade qualquer", diz a candidata, ao citar a importância econômica de São Paulo, que representa 15% do PIB nacional. Segundo ela, a crise afeta diretamente cidades grandes, como São Paulo.

"Não é certo o prefeito ou a prefeita e o governador do Estado não falarem sobre e não tenho voz na política nacional, principalmente a econômica. As políticas não impactam a União ou o Estado abstratamente, impactam as cidades", explica a candidata.

A "estratégia" de campanha surtiu efeito entre quem passava pela avenida. O grupo foi saudado com gritos de "Fora Temer" por ciclistas e transeuntes. Um grupo de alunos do primeiro semestre de Publicidade tiraram foto com as faixas além de selfies com Erundina.

"A Erundina já é conhecida, mas pro PSOL, é bom ter sido vanguarda no 'Fora Temer' e 'Fora Cunha'", diz Valente. O candidato também conta que, nas manifestações, o partido foi bem recebido pela juventude. Os candidatos socialistas têm uma peculiaridade em relação às outras chapas, os dois são deputados federais. Na próxima segunda-feira, 12, estarão em Brasília para votar pela cassação do ex-presidente da Câmara. "Só saio de lá quando ele sair, definitivamente, da cadeira", afirma Erundina.