24°
Máx
17°
Min

Fase de discursos na comissão pode levar mais de 4 horas e atrasar votação

Se todos os líderes usarem os dez minutos a que têm direito para falar contra ou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, na comissão especial da Câmara, esta etapa da sessão vai durar quatro horas e meia. Não se confirmará, portanto, a previsão de que a votação do parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) começaria às 17h. A comissão está reunida desde a manhã desta segunda-feira, 11.

Terão direito à palavra 25 líderes de partidos e os líderes do governo, José Guimarães (PT-CE), e da minoria, Miguel Haddad (PSDB-SP). Antes disso, haverá um tempo de vinte minutos reservado a quatro deputados, com cinco minutos para cada um.

Dois parlamentares, Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Guimarães, falarão contra o impeachment e outros dois, Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Mendonça Filho (DEM-PE), discursarão a favor do afastamento da presidente. A ordem será a seguinte: Jandira, Sampaio, Guimarães e Mendonça.

Ainda não há previsão para o início dos pronunciamentos dos deputados. Por volta das 14h30, os integrantes da comissão discutiam detalhes sobre o procedimento da votação, nas chamadas questões de ordem.

Muitos aproveitam as falas para atacar ou apoiar o relator Jovair Arantes e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que defendeu a presidente. Somente depois de todas as falas dos líderes, os 65 integrantes da comissão começarão a votar.