22°
Máx
17°
Min

Fazenda: não há como sinalizar 'nada claro' sobre ajuda a Estados do Norte e NE

O secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta terça-feira, 30, que, no momento, não tem como sinalizar "nada claro" aos governadores do Norte e Nordeste em relação a uma ajuda adicional a seus Estados. Este é um dos pleitos dos governantes, que pedem ajuda extra de R$ 7 bilhões para fechar as contas.

"Tivemos uma série de conversas, e o governo tem sinalizado uma receita adicional com recursos da repatriação. Mas, no momento, não há como sinalizar nada claro para os governadores em função das próprias limitações fiscais que temos para terminar a execução financeira do exercício de 2016", afirmou Guardia. "O que a gente negociou está no projeto em tramitação, em que foi feito o refinanciamento das dívidas dos Estados com contrapartidas", acrescentou.

Guardia chegou nesta terça à liderança do governo na Câmara, para café da manhã com líder e vice-líderes do governo. Segundo Guardia, o encontro servirá para a discussão da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que trata do teto da dívida. "É um diálogo permanente, é importante, complexo. Queremos ouvir inclusive as preocupações (dos deputados", afirmou Guardia. "É uma conversa como várias outras que já tivemos", acrescentou.

O secretário-executivo disse que a dívida dos Estados não será tema desse café da manhã. Guardia também afirmou o reajuste dos servidores ainda está em discussão, enquanto o governo sofre pressão de funcionários do Tesouro Nacional e de outras categorias. "O projeto (de reajuste) da Receita está em tramitação no Congresso e vai seguir seu curso normal. Nas conversas com o Tesouro, estamos colocando as limitações que o governo tem neste momento", afirmou Guardia. "O governo honrou seus compromissos, encaminhou os projetos de lei para o Congresso Nacional", acrescentou.

Na chegada de Guardia à liderança do governo para o café da manhã, perto das 8h30, houve um desencontro. Na agenda da liderança não constava o compromisso e, por conta disso, o secretário-executivo afirmou que voltaria para o Ministério da Fazenda e aguardaria uma comunicação. Poucos minutos depois, no entanto, Guardia retornou ao local para o início da reunião.