23°
Máx
12°
Min

FUP acusa Petrobras de ineficiência no combate a fraude no 'benefício farmácia'

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), representante dos empregados da Petrobras, acusou a empresa de ineficiência no combate à corrupção. Em carta enviada ao diretor de Recursos Humanos da estatal, Hugo Repsold, os petroleiros afirmaram que já haviam denunciado a existência de um esquema de desvio de recursos envolvendo o "benefício farmácia", concedido aos funcionários, como revelado no último domingo em reportagem do programa de televisão Fantástico.

Nesta segunda-feira, 27, a Petrobras admitiu, em comunicado, que investiga irregularidades no plano, que favorece 300 mil pessoas, incluindo funcionários e familiares. Eles são ressarcidos por gastos com remédios adquiridos em uma rede de farmácias credenciadas.

Segundo a empresa, uma equipe de apuração interna identificou ao menos seis envolvidos nas fraudes. "A partir das conclusões, a Petrobras punirá os envolvidos e tomará todas as medidas legais cabíveis para a responsabilização devida nas áreas trabalhista, civil e criminal, bem como a reparação e compensação de danos, com envio do material ao Ministério Público Federal", traz o comunicado. O caso está sendo investigado também pelo Tribunal de Contas da União (TCU) desde o ano passado.

Já a Global Saúde, operadora do benefício farmácia, foi multada em R$ 2,9 milhões pela Petrobras, por descumprir "cláusulas contratuais". Mas, segundo a reportagem do Fantástico, o desvio seria muito superior: a estimativa é de perda de R$ 6 milhões mensais desde 2014, quando o benefício passou a ser adotado.

A FUP quer participar diretamente das investigações. Na carta enviada à diretoria da Petrobras, a entidade reivindica a criação de uma nova comissão interna de investigação, "haja vista a ineficácia ou omissão, até o presente, dos órgãos internos de controle".