27°
Máx
13°
Min

Governador do RS divulga extrato bancário para provar que teve salário parcelado

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), publicou nesta quinta-feira, 5, seus extratos bancários em sua página oficial no Facebook para provar que também está recebendo salários parcelados, assim como os demais servidores estaduais ligados ao Poder Executivo. De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio Piratini, ele tomou a decisão porque o assunto era constantemente citado por internautas nas postagens feitas pelo governo nas redes sociais.

Esta semana, ao comentar um vídeo em que Sartori fala sobre as finanças do Estado, um internauta questionou se o salário dele estava realmente sendo parcelado. O governador optou por responder postando os extratos, onde é possível visualizar depósitos referente a diferentes parcelas salariais. "Como esse assunto é ventilado há muito tempo, hoje pedi para fazerem cópia do meu extrato bancário. Como todos os servidores, recebo parcelado tanto minha aposentadoria quanto o salário do governador. A mesma situação vale para secretários e cargos de confiança que recebem do Executivo", diz o texto publicado junto com a foto que mostra os extratos.

Sartori tem dois salários. Como governador, a remuneração bruta é de R$ 25.322,25 e a líquida, de R$ 11.456,65. Ele devolve aos cofres do Estado uma parte do vencimento a que tem direito porque preferiu não usufruir do reajuste salarial que passou a vigorar em 2015. Como deputado estadual aposentado, Sartori recebe mais uma pensão de R$ 6.330,56 brutos e R$ 4.417,60 líquidos. Ambos os salários estão sujeitos ao parcelamento porque, neste caso, estão atrelados ao orçamento do Executivo.

O Rio Grande do Sul vive uma crise fiscal antiga, mas que tem sido agravada pelo desaquecimento da economia. Desde o ano passado o Estado enfrenta dificuldades para pagar em dia fornecedores e servidores. Em 2016, os funcionários públicos ligados ao Executivo receberam em dia somente em janeiro. Os salários de fevereiro, março e abril foram parcelados. Os servidores do Judiciário e do Legislativo não são afetados pelos parcelamentos no Rio Grande do Sul, pois os poderes são independentes e administram seus próprios orçamentos.

Na mensagem no Facebook, Sartori justifica que publicou seus extratos em respeito aos servidores públicos. "Prezo muito pela transparência. O parcelamento não é questão de vontade, mas um problema estrutural do Estado. Tudo o que quero é que não tenhamos mais que passar por esse constrangimento", disse.