21°
Máx
17°
Min

Governador do RS diz que prioridade é recuperar economia e autoestima do Brasil

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), se manifestou, via Twitter, sobre a decisão do Senado de afastar definitivamente Dilma Rousseff, o que confirmou Michel Temer na Presidência da República. Sem citar a palavra impeachment, Sartori começou dizendo que a democracia "é feita de discordâncias" e que hoje o Brasil escreveu "mais um capítulo de sua história". Ele é colega de partido de Temer.

"O momento pede serenidade e o País precisa de todos nós para encontrar novos caminhos. A prioridade agora é recuperar a economia, a autoestima e a credibilidade do Brasil", afirmou Sartori por meio do microblog.

Sartori ainda disse que o presidente Temer "tem dado sinais de que governará com diálogo e articulação" e convocou os gaúchos a "contribuir para a construção deste novo momento".

Imerso numa crise financeira que se agravou desde o ano passado, o Rio Grande do Sul tem manifestado constantemente a necessidade de contar com a ajuda do governo federal para sair do buraco.

Além de se beneficiar com o projeto de renegociação das dívidas estaduais com a União (que foi aprovado na Câmara e segue para o Senado), o governo de Sartori também tem recorrido ao Planalto para outras negociações, aproveitando a influência do ministro da Casa Civil, o gaúcho Eliseu Padilha.

Semana passada, por exemplo - após o assassinato de uma mulher que ia buscar o filho no colégio em Porto Alegre evidenciar uma crise na área de segurança pública no Estado e provocar comoção no Estado -, o governador foi recebido às pressas por Temer em Brasília e conseguiu acordar o deslocamento de 150 agentes da Força de Segurança Nacional para a capital gaúcha.