21°
Máx
17°
Min

Governo autoriza mais R$ 43,4 milhões em financiamentos para 19 municípios

Governo autoriza mais R$ 43,4 milhões em financiamentos para 19 municípios

O governador Beto Richa e prefeitos de 19 cidades assinaram nesta segunda-feira (11), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, novos contratos de financiamento pela Fomento Paraná. São R$ 43,4 milhões, que serão investidos em obras nas cidades e em aquisição de máquinas e equipamentos para as prefeituras. O crédito é pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), programa realizado em parceria pela Fomento Paraná, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e o Paranacidade. Na mesma solenidade, Richa autorizou a homologação de licitações já realizadas para obras em 24 municípios. Também neste caso os investimentos são financiados pelo governo estadual. 

Os novos contratos de financiamento foram assinados por Marialva, Corbélia, Borrazópolis, Cruzeiro do Sul, Colorado, Apucarana, Rondon, Entre Rios do Oeste, Maria Helena, Nova Esperança, Campo Largo, Guarapuava, Janiópolis, Pitangueiras, Planalto, Santa Tereza do Oeste, Ubiratã, Nova Prata do Iguaçu e Ivaiporã. Os recursos serão utilizados para pavimentação e recape de vias urbanas das cidades, que é o tipo de estrutura mais solicitada pelos municípios, aquisição de maquinários rodoviários, recursos para preservação de fundos de vale, compra de veículo para a área de saúde e recursos para estradas vicinais. 

Richa afirmou que só é possível apoiar os municípios graças às medidas de ajuste fiscal tomadas pelo Governo do Estado. “Enquanto os demais estados retraíram seus investimentos, o Paraná é um dos únicos a ampliar os investimentos em 2016. Isso significa mais recursos para obras nos municípios, construção de mais hospitais, unidades de saúde e casas populares”, afirmou o governador. 

“Teremos, neste ano, cerca de R$ 8 bilhões para investir e garantir mais qualidade de vida à população paranaense”, disse. 

Ele lembrou que o Paraná alcançou, no ano passado, a inédita posição de quarta economia mais forte do País, além de ser considerado o segundo estado brasileiro mais competitivo. “Propus aquelas medidas de ajuste fiscal para proteger o Estado dos efeitos nocivos desta aguda crise financeira nacional. Não está sobrando dinheiro, mas temos, hoje, a situação mais confortável entre todos os estados brasileiros”, destacou o governador.

Colaboração AENPr.