22°
Máx
14°
Min

Haddad diz que gestão foi a que mais combateu a corrupção em SP

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição pelo PT, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira, 10, que sua gestão foi a que mais combateu a corrupção na cidade. Segundo ele, foram recuperados R$ 278 milhões desviados em administrações anteriores, citando os mandatos de Paulo Maluf, Celso Pitta, José Serra e Gilberto Kassab. "Até os meus adversários têm cuidado e prudência em falar disso, porque eu sou uma pessoa honrada, não vou admitir comentários sobre minha conduta, que é absolutamente reta", disse Haddad, em entrevista à TV Estadão.

O candidato à reeleição citou duas investigações que trouxeram recuperação aos cofres públicos, comentando que ele foi o único prefeito e recuperar dinheiro de corrupção na história recente.

Uma delas, que recuperou R$ 133 milhões a da Máfia do ISS, investigou um grupo de fiscais que cobrava propina em troca de descontos no cálculo do imposto, cobrado sobre serviços. Outra, que trouxe R$ 53 milhões de volta ao município, se refere à identificação de desvios na Operação Urbana Água Espraiada, uma série de obras de infraestrutura na capital paulista.

Secretário de Comunicação

Haddad defendeu o secretário de Comunicação da Prefeitura, Nunzio Briguglio Filho, citado em uma delação premiada como envolvido em esquema que teria causado prejuízo de R$ 15 milhões aos cofres públicos em contratos fraudulentos firmados pela Fundação Theatro Municipal de São Paulo. "Não há nenhuma acusação formal contra o secretário, não cometo injustiça", disse o petista, quando perguntado por que não afastou o secretário da gestão como ocorreu com o ex-secretário de Governo Antonio Donato, investigado por desvios de recursos do ISS. "

O Donato que pediu afastamento (em novembro de 2013), foi afastado e agora teve o processo arquivado", declarou o prefeito.

Haddad destacou ainda que quem descobriu as fraudes nos contratos com o teatro foi a Controladoria do Município, criada por ele.

Adversários

Durante a entrevista, Fernando Haddad criticou a aliança da ex-petista Marta Suplicy, agora candidata pelo PMDB, com o presidente interino Michel Temer e com o ex-prefeito Gilberto Kassab. "A aliança que fez com Temer e Kassab em troca da legenda é algo que vai ser discutido", disse.

O prefeito e candidato à reeleição afirmou que a gestão da ex-aliada Marta na Prefeitura de São Paulo foi importante para a cidade, mas que cometeu erros na segunda metade do mandato. "A gestão da Marta foi importante e foi derrotada pelos erros que cometeu, ela própria admitiu, sobretudo na segunda metade do mandato", apontou.

Ao falar sobre o adversário que lidera as intenções de voto nas pesquisas eleitorais, Fernando Haddad declarou que a absolvição de Celso Russomanno (PRB) no Supremo Tribunal Federal (STF), determinada na terça-feira, 9, e que libera o político para concorrer ao pleito deste ano, não o atrapalha na disputa. "Não acredito no personalismo, se a pessoa vai perder ou ganhar por causa da imagem que fazem dela. As pessoas vão decidir o voto por causa de um projeto da cidade. Essa convicção independe de com quem se está concorrendo", avaliou.