23°
Máx
12°
Min

Humberto Costa discursa em ato contra impeachment em Brasília

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), fez na noite desta quinta-feira, 31, um discurso durante manifestação contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em um carro de som em frente ao gramado do Congresso Nacional, ele falou para cerca de 50 mil pessoas e lembrou que 31 de março é a data que marca a tomada do poder pelos militares em 1964. Classificando o processo de impeachment em andamento na Câmara como um golpe, ele afirmou que, para que haja impedimento da presidente, seria necessário um crime de responsabilidade.

Na sua fala, o senador gritou ao público: "A presidente Dilma roubou? A presidente recebeu propina?". Ao que os manifestantes responderam com gritos de não, ele voltou a chamar o processo de golpe. "Estamos na rua para enterrar essa tentativa. Isso é golpe contra o povo brasileiro, é golpe contra a Constituição. Para que haja impedimento, é preciso crime de responsabilidade", afirmou.

Em seguida, uma gravação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizia que de um lado estão os que querem atropelar a democracia e, do outro, os que acreditam nela. A gravação não foi passada integralmente por problemas técnicos que impediram a transmissão. Depois da gravação, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, subiu ao palanque. "Vamos avançar com a reforma agrária, com a reforma tributária. Já avançamos muito e não podemos retroceder", disse.

"Estamos dizendo que não haverá golpe e haverá reforma agrária. Não haverá golpe e continuaremos a avançar as políticas sociais", afirmou.

Segundo o último boletim da Secretaria de Segurança Pública do DF, cerca de 50 mil ocupam a Esplanada. Parte desse grupo chegou a Brasília em 370 ônibus disponibilizados pelos movimentos e sindicatos que apoiaram o ato e, até o momento, não houve ocorrência de conflitos.