27°
Máx
13°
Min

Humberto Costa diz ser possível fazer mudanças na economia sem uso de reservas

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil) - Humberto Costa diz ser possível fazer mudanças na economia sem uso de reservas
(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), afirmou nesta quarta-feira, 16, que é possível fazer algumas mudanças na condução da economia com a assunção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil, sem a necessidade de usar as reservas do País.

O petista destacou que o ex-presidente sempre teve a responsabilidade fiscal como uma das suas principais características e que, com a ida de Lula para o Palácio do Planalto, não haverá um "afrouxamento" das medidas macroeconômicas para fazer o Brasil voltar à condição de maior estabilidade.

"Seria uma decisão política séria (o uso das reservas), não creio que o ex-presidente esteja entrando no governo com essa pretensão de convencer a presidenta Dilma a utilizar as nossas reservas. Acredito que é possível fazer algumas mudanças sem que se faça isso, na medida em que isso é uma grande garantia que a gente tem", disse Costa, em entrevista.

Questionado se a ida de Lula para o ministério evitará o impeachment de Dilma, o líder do governo disse que será a saída para que se possa voltar a governar "bem e com tranquilidade". "Era preciso um fato novo que pudesse mexer com a política."

Ele disse que, antes da nomeação do ex-presidente, o governo já tinha pelo menos 172 votos para barrar no plenário da Câmara a abertura de um processo de afastamento contra a presidente. Destacou que a partir de agora, essa margem deve ser ampliada.

Segundo Costa, Lula vai participar da articulação de ações do governo, mas precisará ter o "beneplácito" de Dilma. Perguntado se cabem "dois presidentes" no Palácio do Planalto, ele disse que será um presidente eleito e um ex-presidente na condição de ministro.