23°
Máx
12°
Min

Imbassahy: Prisão de Mantega mostra profunda abrangência das articulações do PT

O líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), considerou que a prisão do ex-ministro Guido Mantega demonstra a "profunda" abrangência das articulações do PT no esquema de corrupção investigado pela operação Lava Jato. Mantega, que foi ministro da Fazenda nos governos Lula e Dilma, foi preso temporariamente, na manhã desta quinta-feira, 22, pela Polícia Federal na 34ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Arquivo X.

Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato, o empresário Eike Batista declarou em depoimento que, em 1º de novembro de 2012, recebeu pedido de um então ministro e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões, no interesse do PT.

"Guido Mantega é o mais longevo ministro do PT. A prisão dele demonstra a profundidade e a abrangência dessas articulações do PT em torno de um projeto de poder. Revela a institucionalização de práticas incompatíveis com o sistema democrático", afirmou Imbassahy.

Já o líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), afirmou que a prisão temporária do ex-ministro da Fazenda mostra que todos que atuam no mundo da corrupção devem ser punidos.

"Todos aqueles que tiveram algum contato com coisas ilícitas e atos de corrupção feitos a partir do exercício de cargos públicos ou da atividade política devem ser exemplarmente punidos, seja quem for", disse o senador.

Ele lamentou o envolvimento do ex-ministro no escândalo de corrupção, assim como de outras "figuras proeminentes do governo anterior", mas comemorou o trabalho da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça. Para o tucano, a prisão de Mantega demonstra que o Brasil continua sendo um país "sério", onde quem atua na corrupção acabará inevitavelmente punido. (fim)