28°
Máx
17°
Min

Indio da Costa apoia Crivella no 2º turno, mas não quer Garotinho no governo

Derrotado no primeiro turno nas eleições à prefeitura do Rio de Janeiro, Indio da Costa (PSD) formalizou nesta quarta-feira seu apoio à candidatura de Marcelo Crivella (PRB) no segundo turno, com a condição de que o ex-governador Anthony Garotinho (PR) não participe da campanha e de um possível governo de Crivella, caso seja eleito.

Católico, Indio ainda restringiu seu apoio à certeza de que, em um governo do bispo licenciado da Igreja Universal, o ensino religioso não será obrigatório nas escolas públicas.

"Quero reafirmar que não haverá participação de líderes religiosos da Igreja Universal do Reino de Deus aparelhando o Estado. Também não tem nenhum compromisso com relação ao ex-governador Anthony Garotinho. Espero que esse assunto se encerre. Pode ser que não se encerre apenas no discurso desesperado do Marcelo Freixo", afirmou Crivella, referindo-se ao seu rival no segundo turno, representante do PSOL.

A aliança entre Indio e Crivella no segundo turno das eleições do Rio foi formalizada durante evento na sede do PSD, no centro da cidade, no início da tarde desta quarta-feira. Esse foi o último apoio conquistado pelo bispo. Os dois trocaram acusações no primeiro turno, mas hoje disseram que "não há o que perdoar".

Convocando os cariocas que garantiram a ele 8,99% do total dos votos em outubro, além dos eleitores dos candidatos Pedro Paulo (PMDB), Carlos Osório (PSDB) e Flávio Bolsonaro (PSC), Indio disse que chegou a ter receio em apoiar Crivella, mas que, por fim, avaliou que a "proximidade programática (do PSD com o PRB) é enorme". "O centro (político no Rio) esteve dividido (no primeiro turno). E quem representa o centro nesse momento é o Crivella".