26°
Máx
19°
Min

Início do processo de impeachment foi chantagem de Cunha, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff lamentou nesta quinta-feira, 5, que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara dos Deputados, tenha liderado o processo de impedimento de seu mandato na Casa.

"A única coisa que lamento é que ele infelizmente conseguiu votar o impedimento e vocês assistiram a ele presidindo, com a maior cara de pau, o processo na Câmara", afirmou a presidente, em discurso durante a inauguração da operação comercial da Usina de Belo Monte, em Vitória do Xingu (PA).

Dilma voltou a repetir que o processo de impeachment contra ela foi fruto de uma "chantagem" de Cunha para que o PT não votasse pelo afastamento dele no Conselho de Ética. "E hoje o STF afastou Cunha alegando que ele estava usando seu cargo para fazer chantagens", disse.

Na manhã desta quinta-feira, Cunha foi afastado do mandato de deputado federal e, consequentemente, do comando da Casa, depois de decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. A decisão do ministro atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), feito ainda no fim do ano passado, que alega que Cunha usou o cargo para interferir nas investigações da Operação Lava Jato, da qual ele é alvo.

A presidente participou da inauguração da operação comercial da Usina de Belo Monte, em Vitória do Xingu (PA). Conforme o governo, no pico da construção, Belo Monte gerou 20 mil empregos diretos e 40 mil empregos indiretos na região.

Em uma espécie de balanço dos investimentos que fez até agora em seus mandatos, Dilma disse ter orgulho da construção de Belo Monte e de ações no Norte e no Nordeste do País. "Escolhi priorizar interesses do povo mais pobre. Escolhas que são condições essenciais para que nosso País cresça e se desenvolva", afirmou.

Representantes de movimentos sociais e de trabalhadores da Belo Monte entregaram flores e presentes à presidente Dilma, aos gritos da plateia de "no meu País, eu boto fé, porque ele é governado por mulher".

A presidente voltou a atacar o que chamou daqueles que querem chegar ao poder "sem voto", além de falar mais uma vez em "golpe" e que não cometeu qualquer crime de responsabilidade. "Não haverá perdão da história para os golpistas. Quem vier a sentar na minha cadeira tem de prestar contas a vocês", disse.

Logo após, Dilma parte para Santarém (PA), onde vai entregar unidades do Minha Casa Minha Vida. Estão previstas entregas simultâneas em Uberaba (MG), Camaçari (BA), Itapipoca (CE) e Campo dos Goytacazes (RJ).