Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Justiça autoriza vereadores reeleitos a sair da cadeia para tomar posse

Justiça autoriza vereadores a sair da cadeia para tomar posse

A Justiça autorizou dois vereadores reeleitos em Foz do Iguaçu, presos preventivamente na sexta fase da Operação Pecúlio, a tomarem posse de seus mandatos.  A decisão é da juíza Juliana Arantes Zanin Vieira, da Vara da Corregedoria dos Presídios de Foz do Iguaçu, expedida nesta terça-feira (10).

Darci DRM e Edílio Dall’Agnol poderão sair da unidade 1 da Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu (PEF) para assinar o termo de posse. “O requente foi eleito por voto popular e não há qualquer impeditivo legal de que o detento seja escoltado até a Cãmara Municipal de Foz do Iguaçu”, justifica a magistrada no documento de ambos.

Sendo assim, os dois poderão sair temporariamente da cadeia, ir até a Câmara e retornar para o estabelecimento penitenciário. Tudo deve ser feito mediante escolta da Polícia Federal (PF).

Ainda permanecem presos Anice Nagib Gazzoui, Queiroga e Rudinei de Moura. Estes conseguiram votos suficientes para permanecer mais quatro anos na cadeira do Legislativo. No entanto, ainda não obtiveram autorização judicial para tomar posse. Caso isso não ocorra, assumirão os suplentes.

Hermógenes de Oliveira, Paulo Rocha, Fernando Duso e Coquinho já tiveram seus mandatos vencidos, porém, permanecem presos preventivamente. Todos os envolvidos são acusados de receber o mensalinho, espécie de mesada paga pelo Executivo, na época comandado pelo ex-prefeito Reni Pereira, em troca de favores ou apoio políticos.

Atualização

Após a publicação desta reportagem, saiu mais uma decisão beneficiando Queiroga, sob a mesma justificativa e magistrada. A defesa de Anice Nagib Gazzoui informou que ingressou com um pedido de liberação nesta terça-feira (10) e acredita que a decisão saia, no máximo, até esta quinta-feira (12).

O diretor da PEF 1, Willian Vieira Costa Zonato, informou, na manhã desta quarta-feira (11) que ainda não foi notificado oficialmente. "Tomei conhecimento pela imprensa e pelos advogados, que já estão ligando aqui. Mas, preciso receber os documentos e tê-los em mãos para fazer a liberação. Assim que isso acontecer, vou acionar a Polícia Federal para fazer a escolta".

Colaboração: Luciana Barcellos/Rede Massa.