22°
Máx
14°
Min

Lideranças do PSDB, DEM e PPS cobram demissão do ministro da Transparência

Lideranças de partidos da antiga oposição na Câmara dos Deputados cobraram nesta segunda-feira, 30, a demissão do ministro da Transparência, Fabiano Silveira. O ministro aparece em áudio divulgado neste domingo, 29, pela TV Globo, em que ele dá orientações ao presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), sobre como agir em relação às investigações da Operação Lava Jato.

Vice-líder do PSDB na Câmara, o deputado Nilson Leitão (MT) defendeu que o presidente em exercício, Michel Temer, tome uma atitude "rápida" em relação a Silveira assim como fez com o senador Romero Jucá (PMDB-RR). O peemedebista foi demitido do cargo de ministro do Planejamento no mesmo dia em que veio a público áudio em que defendia um "pacto" para estancar as investigações da Lava Jato.

"Na minha opinião pessoal, acho que deveria ser trocado assim como qualquer outro que faça o mesmo", afirmou Leitão. Segundo o tucano, com a possibilidade de outros áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado (PMDB) virem à tona, a antiga oposição vai se reunir nos próximos dias para tirar um posicionamento oficial. "Não podemos ter dois pesos e duas medidas", disse.

Vice-líder do PPS, o deputado Arnaldo Jordy (PA) também cobrou a demissão de Fabiano Silveira. "O flagrante da conversa revela algo que é diametralmente oposto à postura que deve ter uma figura como o ministro da Transparência. Portanto, tornou-se insustentável a permanência do ministro no cargo", afirmou. Para Jordy, a Pasta deve ser comandada por alguém que não tenha "o mínimo de suspeição".

Para o líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), o ministro da Transparência deve deixar o cargo assim como Jucá. "Até para não criar um ambiente de dificuldade (no Congresso Nacional)", afirmou o parlamentar amazonense. De acordo com Avelino, "não existe ninguém maior do que o projeto de reconstrução do País". Se ele tiver que sair, que saia", declarou.

Líderes de partidos do chamado "Centrão" evitaram se pronunciar sobre o assunto. Investigado pela Lava Jato, o líder do PP na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), disse que os líderes vão aguardar o posicionamento do Palácio do Planalto até o fim desta segunda-feira, para decidir como vão se posicionar. Por enquanto, a informação é de que Temer deve manter Silveira no cargo.