22°
Máx
16°
Min

Lista de maiores financiadores expõe laços econômicos e políticos

No topo do ranking dos maiores doadores de campanha do Brasil estão empresários com interesses econômicos vinculados aos resultados eleitorais, parentes de candidatos e políticos que buscam influenciar a campanha em seus redutos.

O empresário Alexandre Grendene Bartelle doou R$ 1 milhão para a campanha de Ivo Gomes (PDT) à Prefeitura de Sobral, no Ceará. O montante representa, de acordo com o que foi declarado até sexta-feira ao Tribunal Superior Eleitoral, 88% dos recursos recebidos pelo candidato de pessoas físicas. Ivo é irmão de Cid e Ciro Gomes, ex-governadores do Ceará. Alexandre é um dos fundadores da marca Grendene, uma das maiores fabricantes de calçados sintéticos do mundo. A empresa é originária de Farroupilha, no Rio Grande do Sul, mas, em 1993, se instalou em Sobral, graças a incentivos fiscais concedidos pelo governo cearense, na gestão de Ciro Gomes.

Sobre a doação milionária, Ivo considera não haver nada de errado. "Todas as nossas doações são transparentes e refletem o desejo de muitos para que Sobral dê o salto de crescimento que precisa. Alexandre Grendene, que emprega milhares de sobralenses, também quer o melhor para nossa cidade", afirmou. O empresário não foi localizado para comentar a contribuição.

Um dos sócios da Kroton, uma das maiores empresas do País no setor educacional, o ex-ministro do Turismo Walfrido Mares Guia doou R$ 300 mil à campanha de reeleição do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

Quando era ministro da Educação, Haddad promoveu reformas no Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) que multiplicaram os lucros e o valor de mercado das universidades privadas. Questionado sobre a influência dessas reformas na decisão de doar, Walfrido respondeu: "O Fies é uma política pública de amplo alcance, que beneficia um milhão de alunos. Minha doação não tem qualquer relação com a execução de determinadas políticas públicas. Não existe qualquer vínculo entre um fato e outro. É uma ilação extremamente subjetiva."

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), e sua mulher, Maria Regina Nascimento de Lacerda, doaram, respectivamente, R$ 400 mil e R$ 500 mil para a campanha de Délio Malheiros (PSD), vice-prefeito da cidade, que está em quarto lugar na corrida eleitoral, segundo o Ibope.

O casal é responsável por 55% dos cerca de R$ 1,6 milhão recebido até agora por Malheiros. A reportagem tentou contato com o prefeito para comentar a doação, mas ele não atendeu as ligações.

Também integrante do ranking dos maiores doadores, o deputado federal João Gualberto (PSDB-BA) tem atuação forte no ramo de supermercados, na Bahia. Na atual campanha, ele está financiado candidatos a prefeito e a vereador em 32 cidades de seu Estado.

"Eu tenho o que quero, não dependo de um toma-lá, da-cá. Nas minhas andanças pela Bahia, em campanha, tive a oportunidade de conhecer muita gente boa, que me impressionou pela seriedade", afirmou, ao justificar as doações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.