22°
Máx
14°
Min

Locais de votação devem ter atendimento prioritário para alguns casos

(Foto: Arquivo / Agência Brasil) - Locais de votação devem ter atendimento prioritário para alguns casos
(Foto: Arquivo / Agência Brasil)

Os eleitores devem ficar atentos sobre como funciona a ordem para acesso à cabine de votação e os casos de prioridade de atendimento. Normalmente, os eleitores devem respeitar o horário de chegada de cada um, com orientação da equipe de mesários e demais pessoas destacadas para trabalhar nas seções e zonas eleitorais.

No entanto, estão previstos alguns casos de prioridade para votação. Idosos (pessoas acima de 60 anos), pessoas com necessidades especiais ou com mobilidade reduzida, grávidas, mulheres em período de amamentação (lactantes) ou com crianças de colo devem ter atendimento mais ágil. Estas situações também serão orientadas pelas equipes que trabalham nos locais de votação.

Os eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida tiveram a oportunidade de solicitar transferência para seções eleitorais especiais. O prazo para solicitação foi encerrado em maio deste ano. Depois disto, os interessados ainda enviaram à Justiça Eleitoral uma descrição de suas restrições e necessidades.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), se as pessoas nestes casos não tiverem feito requerimentos específicos, elas podem informar aos mesários as suas limitações, para que sejam providenciadas as soluções adequadas no momento.

O TSE ainda esclarece que todas as urnas eletrônicas são preparadas para atender pessoas com deficiência visual. Há sistema de braile, com identificação nas teclas. Além disto, os tribunais eleitorais disponibilizam fones nas seções eleitorais especiais ou onde foi feita uma solicitação específica para atendimento. Desta forma, os eleitores com deficiência visual podem receber sinais sonoros com a indicação do número escolhido na urna.

Todos os eleitores devem votam das 8h às 17h, independentemente dos casos de prioridade.

Colaboração TSE