21°
Máx
17°
Min

Lula diz que não deve, não teme e critica condução coercitiva da PF

(Foto: Divulgação) - Lula diz que não deve, não teme e critica condução coercitiva da PF
(Foto: Divulgação)

Em um pronunciamento rápido, na sede do Diretório Nacional do PT na Capital, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Aletheia, deflagrada nesta sexta-feira, 4, disse que não deve e não teme. "Se o juiz (Sérgio) Moro quisesse me ouvir, bastaria mandar um ofício que eu iria, como sempre fui", disse o ex-presidente para amigos e militantes que foram ao diretório petista prestar apoio e solidariedade.

Lula considerou desnecessária a condução coercitiva de que foi alvo hoje e disse aos militantes que nunca teve nada fácil na sua vida e pensava que poderia se aposentar aos 70 anos e ser apenas cabo eleitoral. Ele classificou o comportamento da Polícia Federal e do Ministério Público Federal de "muito grave", lembrando que sempre valorizou essas instituições e já prestou vários depoimentos em investigações. No dia 5 de janeiro, chegou a suspender suas férias para prestar depoimento em Brasília, a convite da Polícia Federal.

"Lamentavelmente estamos vivendo um processo de que a pirotécnica vale mais do que qualquer coisa, do que a apuração séria. Valorizo e valorizei muito nossas instituições, mas de qualquer forma nada disso diminui a minha honra, eles acenderam em mim a chama de que a luta continua", disse o ex-presidente da República."