28°
Máx
17°
Min

Lula não dá como certo desembarque do PMDB, afirma Lindbergh Farias

(Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula) - Lula não dá como certo desembarque do PMDB, afirma Lindbergh Farias
(Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou no início da tarde desta sexta-feira, 11, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva "não dá como certo" o desembarque do PMDB do governo Dilma Rousseff.

O partido, que tem a vice-presidência da República, com Michel Temer, realiza sua convenção nacional neste sábado, 12. A ala mais oposicionista da legenda quer uma ruptura com o governo, outra ala defende um afastamento mais gradual, mas já com uma liberação de parlamentares para votarem como preferirem em matérias de interesse do governo no Congresso Nacional.

"Ele tem uma boa relação com o PMDB, com o presidente Renan, disse que ia conversar com o presidente Renan. Ele não dá como certo que o PMDB, principalmente o PMDB do Senado, tenha desembarcado do governo. Ele ainda acha que tem grande espaço pra conversas tanto com Michel Temer quanto com o presidente do Senado Renan Calheiros", disse Lindbergh ao deixar encontro com o ex-presidente, no Instituto Lula.

Lula participou de um café na quarta-feira, 9, com Renan e outros senadores do PMDB. No entanto, no mesmo dia, o presidente do Senado e lideranças peemedebistas da Casa se reuniram com a cúpula do PSDB. Eles jantaram com o senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB, e com Tasso Jereissati (CE), além de outros senadores tucanos.

Manifestações

Lindbergh afirmou, ainda, que foi uma "irresponsabilidade" o pedido de prisão preventiva do ex-presidente, enviado ontem à Justiça pelo Ministério Público de São Paulo, às vésperas das manifestações pelo impeachment, neste domingo 13, e pró-governo na sexta da semana que vem, dia 18.

Lindbergh destacou que o pedido feito pelo promotor Cássio Conserino não tem qualquer embasamento jurídico e que não recebeu concordância nem do PSDB.

"A posição desse Cássio Conserino não veio de agora. Ele anunciou pra revista Veja que ia denunciar antes de escutar as partes e esse pedido de prisão preventiva é de uma irresponsabilidade... No momento que a gente tem uma radicalização política no País, às vésperas das manifestações do domingo, da nossa que vai ser no dia 18. O que esse promotor fez foi uma irresponsabilidade, não tenho outra palavra pra descrever."

"Esse pedido de prisão preventiva nem o PSDB concordou. É uma perseguição contra o presidente Lula. Mas existe uma expectativa favorável em relação à decisão da juíza, porque, de ontem pra hoje, advogados, juristas das mais diversas posições se posicionaram contra esse pedido de prisão preventiva. Aquilo é uma peça política não tem nada de jurídica", prosseguiu o senador.

Lindbergh esteve com Lula na sede do instituto do ex-presidente, na capital paulista, onde também estiveram os advogados Roberto Teixeira e Cristiano Zanin. O senador disse que Lula está tranquilo e confiante, mas indignado.

"Ele (Lula) está tranquilo, sereno, mas muito indignado. O presidente está indignado com o que está acontecendo, mas tem muita confiança na decisão da Justiça que deve sair na segunda ou na terça-feira."

O ex-presidente Lula foi denunciado e teve ontem expedido o pedido de prisão preventiva contra ele pelo MP-SP. Ele foi denunciado pelos crimes de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro no caso de suposta ocultação de patrimônio envolvendo um tríplex no Guarujá, no litoral paulista.