24°
Máx
17°
Min

Mãe do juiz Moro é hostilizada por manifestantes pró-Lula em Maringá

A mãe do juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato, foi hostilizada na noite de terça-feira, 8, durante uma homenagem ao Dia da Mulher na Câmara Municipal de Maringá, no interior paranaense. Odete Starki Moro, de 70 anos, é professora aposentada de português.

"Lula guerreiro do povo brasileiro", gritaram algumas pessoas, interrompendo os aplausos que a mãe do juiz recebia.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi conduzido coercitivamente - quando o investigado é levado para depor e liberado - na sexta-feira, 4, por ordem de Sérgio Moro. O petista é suspeito de envolvimento no esquema de corrupção e propinas instalado na Petrobras.

A cerimônia homenageava outras 14 mulheres, além da mãe do juiz da Lava Jato. Cada vereador escolheu uma homenageada 'em função da relevância em serviços prestados à comunidade maringaense', segundo a Câmara.

"Das 15 mulheres, duas eram ligadas a sindicato", contou o fotógrafo Marco Antonio de Oliveira, que trabalha Câmara. "Amigos e um pessoal ligado ao PT estavam (na Câmara) prestigiando a homenageada deles. Ninguém sabia que a mãe do Sérgio Moro seria uma das homenageadas. Na hora que foi anunciado que ela era a mãe, eles gritaram."

As mulheres receberam com o título de Mérito Comunitário e flores. "Pra quem estava presente, houve mais aplauso a ela do que vaia", afirmou o fotógrafo. "(A mãe de Moro) não demonstrou chateação."