27°
Máx
13°
Min

Magno Malta provoca Lindbergh por jantar com Renan

O senador Magno Malta (PR-ES) usou o início de seu tempo de questionamento durante a sessão de julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff para provocar o senador petista Lindbergh Farias (PT-RJ) dizendo que ele "estava com a bola toda" porque jantou ontem com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

"Eu quero até fazer um protesto. Porque agora ele é um dos top. Porque Renan almoçou com Dilma, jantou com Temer e ontem, com ele. Eu sou baixo clero. Eu quero requerer meu direito", afirmou. Diante do protesto de Lindbergh, Malta insistiu: "eu falei sério, não é uma brincadeira. Eu não inventei nada, não", disse.

Lindbergh levantou e pediu que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que comanda a sessão, concedesse a palavra para responder a Malta. O senador petista confirmou que ele e o senador Jorge Viana (PT-AC) estiveram com Renan, mas reafirmou que o encontro, que aconteceu na residência oficial de Renan, serviu para que os petistas reclamassem do tratamento dado a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), durante a sessão de ontem. Renan e Gleisi tiveram um desentendimento e tiveram que ser apartados por colegas.

"Tivemos com senador Renan Calheiros, sim, para reclamar do tratamento com a senadora Gleisi", afirmou o petista. Ele reafirmou ainda que, no encontro, os senadores trataram sobre os trâmites do depoimento da presidente afastada Dilma Rousseff na segunda-feira. "Conversamos sobre a próxima segunda-feira que queremos que seja a mais calma e tranquila possível", disse.

Malta então retrucou, disse que fazia a pergunta com carinho e que não queria ter irritado o colega. "Não quis ofender, mas que jantou, jantou", afirmou. "Fiz uma demonstração de carinho a ele e ele se arretou todo", completou Malta, arrancando risadas dos parlamentares.