20°
Máx
14°
Min

Mais quatro senadores declaram que vão votar a favor do impeachment

Mais quatro senadores declararam que vão votar a favor do afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff. Um declarou voto contra. Agora, o Placar do Impeachment do Estadão marca 53 parlamentares a favor, 19 contra e 9 que ainda não quiseram se manifestar.

Os quatro senadores que se declararam favoráveis ao afastamento da petista são José Maranhão (PMDB-PB), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Lúcia Vânia (PSB-GO) e Pedro Chaves (PSC-MS). O que diz que vai votar contra é o senador Elmano Férrer (PTB-PI).

Para aprovar o impeachment será necessário o voto de 54 senadores. A base aliada do presidente em exercício Michel Temer calcula que terá pelo menos 60 votos.

O peemedebista José Maranhão disse que não há mais nenhuma dúvida na sociedade de que o impeachment de Dilma vai ser bom para o País. "Até os senadores aliados dela sabem disso", afirmou.

Pedro Chaves, por sua vez, diz que formou a sua convicção depois de acompanhar os depoimentos, e que só mudaria o voto se Dilma o "surpreendesse" na segunda-feira, quando virá ao Senado apresentar a sua defesa.

Já Elmano Férrer diz que, até agora, sempre votou contra o impeachment, e não deve mudar de entendimento. "É só olhar os meus posicionamentos anteriores", disse.

Indefinidos

Entre os senadores que ainda não declararam o seu voto está o ex-ministro de Dilma, senador Edison Lobão (PMDB-MA). Ele esteve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sexta-feira . O petista desembarcou em Brasília com a missão de encontrar o peemedebista para tentar convencê-lo a votar contra o afastamento definitivo

"Eu ainda não decidi. E mesmo que tivesse decidido, não falaria para ninguém", afirmou.

Outros senadores também disseram que vão esperar o depoimento de Dilma na segunda-feira para tomar uma decisão. Um deles é o senador Acir Gurgacz (PDT-RO). Nas etapas anteriores, ele votou a favor da continuidade do processo de impeachment.

Dúvida

Dilma ainda pode perder um voto praticamente consolidado a seu favor. O senador Telmário Mota (PDT-RR) tem se mostrado muito irritado com o fato de o PT ter lançado candidato à prefeitura de Boa Vista e não apoiar o nome do seu partido. Segundo pessoas próximas ao parlamentar, ele decidiu fazer uma imersão neste final de semana em suas bases eleitorais, incluindo comunidades indígenas, a fim de decidir o voto no julgamento do processo de impeachment da petista.