27°
Máx
13°
Min

Manifestante diz que ato diante da casa de Teori Zavascki pode se repetir

O grupo que fez um protesto nesta terça-feira, 22, em frente ao prédio onde o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki tem apartamento, em Porto Alegre, afirma que o ato poderá se repetir nos próximos dias. Os manifestantes se reuniram diante do condomínio na noite de ontem, após o ministro determinar que o juiz Sérgio Moro devolva à Corte os processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na fachada do prédio, penduraram faixas com os dizeres "Teori traidor", "Pelego do PT" e "Deixa o Moro trabalhar".

O ato foi organizado pela "Banda Loka Liberal", grupo que é ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL) e costuma participar dos protestos contra a presidente Dilma Rousseff no Rio Grande do Sul. Para animar as manifestações, a banda canta músicas pró-impeachment em ritmo de marchinha de carnaval e de torcida organizada.

No protesto em frente à casa de Teori, as canções defendiam a atuação de Moro e acusavam o ministro Teori Zavascki de ser "bolivariano". Boa parte da mobilização foi postada na página da Banda Loka Liberal no Facebook. Nos vídeos, os participantes chamam a atenção para a atitude de alguns moradores que parecem descer dos prédios próximos para se juntar ao grupo e bater panelas.

Teori é natural da cidade catarinense de Faxinal do Guedes, mas se formou em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Ao deixar o condomínio do ministro, os manifestantes protestaram em frente à casa do deputado federal Afonso Motta (PDT-RS), que é contrário ao impeachment. A residência do parlamentar fica a pouco metros do apartamento de Teori em Porto Alegre.

De acordo com um dos participantes da Banda Loka Liberal, Tiago Menna, de 28 anos, o grupo pode voltar a se reunir diante da casa de Teori Zavascki, que é relator da Operação Lava Jato no STF. "A gente vai passar a nossa mensagem até que o povo brasileiro seja ouvido. A ideia é que eles não tenham descanso enquanto não derem o descanso que a gente merece. E o descanso a que eu me refiro é uma democracia de verdade, com divisão entre os poderes e decisões sem intervenção do governo", disse.

Segurança

Nesta quarta-feira, o vice-líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS), anunciou uma ação do Ministério da Justiça e da segurança do STF para reforçar a segurança de Teori Zavascki e apurar ameaças feitas contra o ministro. Pimenta falou que foi solicitada a abertura de inquérito para apurar ações nas redes sociais e apontar os autores das ameaças. O petista revelou que endereços de Teori em Porto Alegre e de seus familiares foram divulgados para que manifestantes agissem para intimidar o ministro.

Menna afirmou que a Banda Loka Liberal fez um protesto pacifico, que não envolveu nenhum tipo de ameaça à integridade do ministro ou de qualquer outra pessoa. "Nossas redes sociais estão abertas para quem quiser investigar. Da nossa página não partiu nenhum tipo de incitação (à violência)", afirmou.

Ele acrescentou que o grupo tem organizado uma série de ações contrárias ao governo da presidente Dilma Rousseff. Desde a semana passada, alguns integrantes estão acampados no Parque Moinhos de Vento. Para esta quarta-feira à noite, está programada um ato chamado "Chopp sem Dilma". A ideia, segundo Menna, é mostrar para as pessoas como estaria o preço do chope e de outras mercadorias "se o governo não tivesse aumentado impostos e causado inflação".