22°
Máx
17°
Min

Marta compara adversários na campanha a Pitta e a Dilma

(Foto: Divulgação) - Marta compara adversários na campanha a Pitta e a Dilma
(Foto: Divulgação)

A candidata do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, atacou na quinta-feira, 15, seus dois adversários diretos por uma vaga no segundo turno, João Doria (PSDB) e o prefeito e candidato à reeleição Fernando Haddad (PT), ao afirmar que "ninguém elege uma pessoa que não tem nenhuma experiência impunemente". Marta, por outro lado, preservou Celso Russomanno (PRB), que construiu carreira política exercendo cargos apenas no Legislativo.

A afirmação foi feita quando a peemedebista comentava o resultado da pesquisa Ibope/O Estado de S. Paulo/TV Globo divulgada na quarta-feira. "Fico contente (com o resultado) e um pouco preocupada com o crescimento do Doria. Ninguém elege uma pessoa que não tem nenhuma experiência impunemente. Veja o exemplo do Haddad, do (ex-prefeito de São Paulo, Celso) Pitta e da (presidente cassada) Dilma (Rousseff)", disse a peemedebista após visitar o Mercado Municipal da Lapa e ruas do bairro.

O movimento de Marta segue a estratégia da campanha peemedebista de poupar Russomanno, já que a avaliação é que há pouco tempo hábil para tirar o candidato do PRB do segundo turno e, para a campanha da senadora, ele seria o adversário mais "frágil". A ideia dos assessores de Marta é focar ataques em quem está disputando com ela a segunda vaga. Conforme esta interpretação, Doria seria o alvo principal porque tem registrado forte crescimento no último mês.

Pesquisa

O Ibope mostrou empate técnico na segunda colocação entre Marta e Doria, com 20% e 17% respectivamente. Ambos cresceram em relação ao levantamento feito pelo instituto em agosto, mas Doria cresceu mais. A peemedebista tinha 17% (crescimento de três pontos) e o tucano registrava 9%, um aumento de 8 pontos porcentuais. No mesmo levantamento, Russomanno segue na liderança com 30%, três pontos a menos que tinha em agosto e Haddad permanece com os mesmos 9% da pesquisa anterior.

Tucano

Doria fez campanha na quinta-feira em ruas do bairro de São Mateus, na zona leste da capital paulista. O tucano disse que Marta fez a afirmação porque está "assustada" com o crescimento de sua candidatura. "Isso evidentemente assusta políticos tradicionais como a senadora Marta Suplicy", disse ele, lembrando que não é político, mas um administrador. O empresário rebateu a provocação da peemedebista. "Vamos continuar crescendo e preocupando a senadora mas, para que ela não fique tão preocupada, já que vai continuar residindo em São Paulo enquanto eu for prefeito, sou administrador há 45 anos."

Russomanno escolheu o mesmo bairro da Lapa e o Mercado Municipal para fazer campanha na quinta-feira. Por uma diferença de uma hora, os adversários não se encontraram. O candidato do PRB disse que o comentário feito por Marta "não acrescenta em nada". "Ela foi prefeita pela primeira vez e tinha vindo do Legislativo. Esse tipo de comentário não acrescenta em nada", disse.

O prefeito e candidato à reeleição Fernando Haddad foi procurado, mas não quis comentar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.