22°
Máx
16°
Min

Mesmo sem consenso, bancada do PSB quer participar de governo Temer

(Foto: ASCOM/VPR) - Mesmo sem consenso, bancada do PSB quer participar de governo Temer
(Foto: ASCOM/VPR)

A bancada do PSB na Câmara dos Deputados diz estar disposta a participar de um eventual governo Michel Temer, mesmo se não houver consenso dentro do partido sobre o tema. A bancada já conta com apoio da maioria dos senadores para indicar o futuro ministro da Integração Nacional. A principal resistência a essa participação hoje está entre os governadores do partido.

Após reunião nesta terça-feira, 3, com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), a bancada do PSB na Câmara acertou que indicará o líder do partido na Casa, deputado Fernando Bezerra Filho (PE), para ministro da Integração em eventual gestão do peemedebista. Ele é filho do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que ocupou a Pasta durante o governo da presidente Dilma Rousseff.

Após o encontro com Temer, o deputado reuniu a bancada da Câmara para fechar apoio a seu nome. Nas conversas, a deputada Tereza Cristina (PSB-MS) chegou a questionar a indicação. Ela queria que o partido assumisse o Ministério da Agricultura, para o qual gostaria de ser indicada. A pasta, contudo, deve ir para o PP.

Fernando Filho levou a posição da maioria da bancada da Câmara para a reunião da direção do partido ainda na noite de terça. No encontro, a bancada do Senado também manifestou apoio à indicação. Único governador do partido presente ao encontro, Paulo Câmara (PE) continuou se posicionando contra a participação do PSB em um eventual governo Temer.

Outros governadores do PSB, Rodrigo Rollemberg (DF) e Ricardo Coutinho (PB), também têm resistido a apoiar a participação em um governo Temer. Segundo interlocutores dos gestores, eles temem que a legenda apoie um governo que não tem respaldo nas urnas e pode vir a "degringolar". Além disso, os dois possuem o PT como aliados em seus governos.

Sem consenso entre parlamentares e governadores, o presidente do partido, Carlos Siqueira, marcou reunião da Executiva Nacional da sigla para a próxima terça-feira, 10, para "bater o martelo" sobre o assunto. A bancada da Câmara tenta construir o consenso, mas já avisou estar disposta a participar de governo Temer mesmo sem apoio dos governadores.

Deputados e senadores afirmam que as bancadas no Congresso são maioria na Executiva Nacional. Lembram ainda que Rollemberg e Coutinho não possuem deputados do PSB de seus Estados na Câmara, o que diminui o poder de influência deles na decisão do partido sobre apoiar ou não um eventual futuro governo Michel Temer.