22°
Máx
16°
Min

Ministério da Justiça vai enviar Força Nacional para evitar novos conflitos no PR

O Ministério da Justiça determinou nesta sexta-feira, 8, que a Polícia Federal instaure um inquérito para apurar a morte de dois sem-terra no município de Quedas do Iguaçu, região oeste do Paraná, durante conflito entre policiais militares e integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, também decidiu enviar integrantes da Força Nacional para reforçar a segurança na região.

A presidente Dilma Rousseff ficou "muito preocupada" com o confronto. Há um temor de que os ânimos estejam muito acirrados e esse embate se amplie. Por isso, desde cedo, havia uma discussão no governo se não seria interessante federalizar as investigações. Isso significaria a entrada da Polícia Federal na apuração do que aconteceu.

Ao longo do dia, o próprio governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), conversou com Aragão e houve um entendimento para que se chegasse a essa solução. O objetivo do governo de enviar homens da Força Nacional é que essa "tropa federalizada" seja colocada em ação para evitar novos conflitos.

O confronto entre policiais e integrantes do MST ocorreu na tarde de quinta-feira e, até agora, é cercada de informações desencontradas.

De acordo com a PM de Quedas do Iguaçu, o confronto teve início no meio da tarde de quinta-feira, quando integrantes do MST atearam fogo numa área de reserva ambiental e bloquearam uma estrada rural que dá acesso à Fazendinha. Segundo nota do governo do Paraná, os policiais teriam sido alvo de uma emboscada.

Integrantes do MST, no entanto, contestaram essa versão. De acordo com os sem-terra, ocorreu exatamente o contrário.

A Polícia Civil do Estado do Paraná também abriu um inquérito para apurar os fatos.