20°
Máx
14°
Min

Moro diz estar cansado, mas trabalho na Lava Jato continua

O juiz federal Sérgio Moro afirmou nesta quinta-feira, 4, que sua declaração de que as investigações em primeira instância da Operação Lava Jato, da qual é responsável, poderiam acabar no fim deste ano foi mais um comentário de desejo do que uma previsão objetiva em audiência na comissão que debate medidas anticorrupção na Câmara dos Deputados, ele confessou estar cansado, mas disse que o trabalho continuará enquanto houver material para ser analisado.

"A questão de acabar no final do ano, isso foi um comentário que fiz, e é mais um desejo, porque confesso que estou um pouco cansado, o trabalho tem sido desgastante, do que propriamente uma previsão objetiva", afirmou. De acordo com ele, os juízes da Operação Lava Jato trabalham com base nos deveres legais, que estabelece que se novas provas de conduta criminosas surgirem deverão ser apuradas e "extraídas as consequências". "O trabalho continua enquanto exista material com que se trabalhar".

Questionado sobre as propostas da legalização do lobby, Moro afirmou que a questão "não é tanto legalizar ou não, mas, se legalizar, como fazê-lo". "É importante que essa atividade saia das sombras", avaliou. Moro citou alguns operadores presos na operação Lava Jato que faziam uma espécie de lobby. "Tem que se pensar em como se trazer essa atividade para a luz sem criar brechas que possam legitimar condutas como essa", disse

O magistrado defendeu que é importante que a discussão sobre regulamentação do lobby seja trazida de forma muito transparente, para que o cidadão possa diferenciar o lobby legítimo do criminoso", disse. Na Câmara, já há projetos de regulamentação da atividade do lobby. As propostas, porém, não constam no pacote de medidas anticorrupção analisado pela comissão especial em que Moro participa de audiência.