22°
Máx
16°
Min

Morre em São Paulo o advogado Arnaldo Malheiros Filho

O advogado Arnaldo Malheiros Filho morreu nesta terça-feira, 24, por complicações de um transplante de fígado, aos 65 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Experiente criminalista, dono de um estilo aguerrido e perspicácia que empregava nas causas sob sua tutela, Malheiros Filho destacou-se na defesa de réus dos dois maiores escândalos políticos da história recente do País, o mensalão e a Lava Jato.

Na Ação Penal 470 defendeu o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Na Lava Jato, defendia o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na longa jornada forense também representou banqueiros, empresários e políticos levados ao banco dos réus.

O depoimento do criminalista Tales Casteço Branco retrata Malheiros Filho. "Estava entre os melhores artífices da arte de advogar. Inteligência e cultura estampavam-se nos seus escritos e sustentações orais. Além do mais, reunia em si as raras virtudes da coragem e independência. A partir de agora, representará fulgurante página da história da advocacia criminal brasileira."

"Essa é a pior notícia que eu poderia ter recebido", disse o criminalista Celso Vilardi. "Perdi um grande amigo, a advocacia e eu perdemos um mestre."

Arnaldo Malheiros Filho deixa mulher, Maria Alice, dois filhos e um neto.

O ministro Alexandre de Moraes, da Justiça e Cidadania, declarou. "É com enorme pesar que recebo a notícia do falecimento do meu amigo, o advogado Arnaldo Malheiros Filho. Sem sombra de dúvidas, o Brasil perde um dos mais brilhantes criminalistas de sua geração. Neste momento de dor, transmito meus sentimentos aos familiares deste dedicado e notável brasileiro."