23°
Máx
12°
Min

MST mantém invasão em fazenda de amigo de Temer

Integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) continuaram nesta terça-feira, 10, ocupando a Fazenda Esmeralda, em Duartina, interior de São Paulo. A propriedade, invadida na madrugada de segunda-feira, 9, por 800 militantes, segundo a Polícia Militar, pertence à empresa Argeplan e ao ex-coronel da PM, João Baptista Lima Filho, amigo do vice-presidente Michel Temer (PMDB). O MST alega haver indícios de que a propriedade teria Temer como sócio oculto.

Até o início da noite, os proprietários não tinham dado entrada ao pedido de reintegração de posse no Fórum de Duartina, segundo informação do Tribunal de Justiça de São Paulo. No dia anterior, a Argeplan e Lima Filho, que também é sócio da empresa, tinham informado que estudavam as medidas a serem adotadas em razão da invasão. Os sem-terra estão acampados junto à casa-sede. O prédio está coberto com pichações contra Temer e em defesa da reforma agrária.

A fazenda, que tem reflorestamento de eucalipto e área de criação de gado, não faz parte da relação de bens declarados por Temer à Justiça Eleitoral em 2014, quando concorreu à reeleição na chapa da presidente Dilma Rousseff (PT). Na ocasião, Temer declarou um patrimônio de R$ 7,5 milhões, composto principalmente pela Tabapuã Investimentos e Participações, que administra os imóveis que ele possui na capital paulista, entre eles dois apartamentos e um prédio residencial.

O valor da empresa é de R$ 2,2 milhões. Já o prédio foi declarado por R$ 722 mil. Outros R$ 2,3 milhões estavam em aplicações de renda fixa. Entre os imóveis declarados, estão 13 lotes urbanos e parte de uma chácara em Tietê, sua cidade natal. Para Kelly Mafort, da direção nacional do MST, um envelope endereçado ao vice-presidente encontrado no local e a "voz corrente na cidade" de que Temer é dono da fazenda merecem, por si só, uma investigação. "A situação é análoga ao sítio de Atibaia, que foi atribuído ao ex-presidente Lula com base nos mesmos indícios, com a diferença de que aqui são 1.500 hectares. Óbvio que isso não está documentado, é preciso investigar", disse.

O prefeito de Duartina, Enio Simão (PSDB), assegura que a propriedade sempre foi do ex-coronel, na cidade conhecido como 'Coronel Lima'. "Existe o comentário porque o coronel tem relação com o Temer desde que ele foi secretário da Segurança Pública de São Paulo, em 1984. O Temer quase nunca vem na fazenda, mas o coronel está aí a cada duas semanas." A assessoria da Argeplan informou que todas as áreas da propriedade são da empresa e do sócio João Baptista Lima Filho. A assessoria de Temer informou que ele não tem fazenda em Duartina, nem propriedades rurais.