24°
Máx
17°
Min

Na busca por clientes, bares em SP transmitem sessão

Bares da Vila Madalena, bairro da zona oeste de São Paulo, irão exibir neste domingo, 17, a transmissão pela TV da votação do processo de impedimento da presidente.

A expectativa é de que o público pró-impedimento seja predominante, com bandeirinhas e camisetas da seleção brasileira. O bar Posto 6 vai estar conectado na votação. "As pessoas estão ligando para saber se vamos transmitir ou não, pois querem comemorar. E vamos faturar então, né? Tirar um pouco dessa crise", afirma Fábio Salomão, dono do estabelecimento.

A poucos metros de lá, clientes do Boteco São Bento também vão poder acompanhar os votos dos deputados. Segundo o gerente Jefferson Santos, a decisão foi dos donos. "Foi uma decisão deles, por acreditarem que é um assunto de interesse público. Nem tivemos muitas pessoas pedindo, mas é porque brasileiro deixa tudo para a última hora", comentou.

Os estabelecimentos em que Santos trabalha contam com quatro seguranças particulares, mas ele disse que podem chamar reforço, caso pareça necessário. "Mas, sinceramente, acho que a demanda vai ser mais para comemorar", comentou.

Na região da Avenida Paulista, que também costuma concentrar a massa de manifestação a favor do impeachment, os estabelecimentos estão divididos. O bar Asterix vai abrir mais cedo, às 12h. Geralmente a primeira cerveja é servida às 15h no domingo. A Choperia Opção, por sua vez, só vai decidir neste domingo, já que da última vez teve que fechar as portas por causa da confusão nos protestos.

No Vale do Anhangabaú, reduto de manifestações petistas, praticamente todos os bares já não funcionam no domingo, por ser uma área muito deserta. E não haverá plantão especial devido à votação.

Shoppings

A Associação Brasileira de Shoppings Centers sugeriu que a abertura das lojas seja facultativa. Na Paulista, os shoppings Cidade São Paulo e Top Center vão funcionar normalmente. O Center 3 fecha mais cedo, às 18h. Vários estabelecimentos da região podem fechar as portas caso haja qualquer sinal de tumulto.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.