21°
Máx
17°
Min

Não pensem nos cargos oferecidos por Temer, pensem na história, diz Lindbergh

Em seu aparte contra o afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), disse que a sessão que dará o veredicto sobre a petista não acaba no dia de hoje e nunca acabará perante a história porque "é uma farsa".

Segundo ele, "é uma farsa" tirar Dilma Rousseff, eleita nas urnas, do cargo pelo impeachment. E chamou de "canalhas" quem quer tirá-la do cargo. "Não pensem nos cargos que Temer está oferecendo, pensem na história", disse. E falou que senadores que votarem a favor do impeachment irão para o "lixo da história". "Se optarem pela infâmia, vão optar pela desonra, nós, que estamos do lado certo da história, vamos dormir tranquilos", disse o senador petista.

Lindbergh, que liderou o movimento dos chamados caras-pintadas no impeachment de Fernando Collor de Mello, afirmou no discurso que uma nova geração de brasileiros e democratas vai lutar para anular a sessão de hoje do Senado Federal. "O Senado terá de apresentar desculpas formais à presidente Dilma."

No seu pronunciamento também contrário ao impeachment, a senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM), disse que o sentimento é de quem fez tudo direito. "Lutamos no Senado por uma batalha que se iniciou no dia em que saiu o resultado das eleições, os que perderam as eleições nunca aceitaram o resultado", disse, destacando que hoje todos estão ali "infelizmente para cassar uma presidente inocente, que não cometeu nenhum crime." "A decisão é política", disse, reiterando que isto não é impeachment, mas um golpe contra o Brasil e o povo brasileiro.

A senadora disse que Michel Temer é que não tem legitimidade para governar. "Apelamos, em nome da história, vamos hoje fazer justiça e votar não neste processo espúrio e ilegal".

'Canalhas!

Lindbergh atacou repetidas vezes os apoiadores do impeachment da presidente Dilma Rousseff: "Canalhas! Canalhas! Canalhas!". O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que discursou logo depois, rebateu: "Canalhas são aqueles que levaram o Brasil à situação que temos hoje. Canalhas são os que roubaram, que fizeram populismo irresponsável. Canalhas são os que assaltaram a Petrobras. Hoje nós estamos vivendo aqui um novo momento de assepsia para tirar todo o tecido contaminado da política nacional. Amanhã o povo respirará alegre e aliviado". O parlamentar terminou seu discurso pedindo o fim do PT.