27°
Máx
13°
Min

Nova fase da Lava Jato cumpre dois mandados de prisão por repasses a funcionários da Petrobras

(Foto: EBC) - Nova fase da Lava Jato cumpre dois mandados de prisão por repasses a funcionários da Petrobras
(Foto: EBC)

A 30ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã desta terça-feira (24), é resultado de investigações relacionadas a repasses de valores não devidos entre empresas contratantes da Petrobras e funcionários da estatal e agentes públicos e políticos. As informações são da Polícia Federal.

Os alvos desta fase são três grupos de empresas que utilizaram operadores e contratos fictícios de prestação de serviços para repassar notadamente valores à Diretoria de Serviços e Engenharia e à Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Os investigados cometeram crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de ativos, segundo a PF.

Policiais federais cumprem dois mandados de prisão preventiva, nove mandados de condução coercitiva e 28 mandados de busca e apreensão. Os trabalhos acontecem nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo com auxílio de fiscais da Receita Federal.

Parte dos mandados tem ainda o objetivo de apurar pagamentos indevidos a um executivo da área internacional da Petrobras em contratos firmados para aquisição de navios-sondas.

A fase de hoje foi intitulada de Operação Vício, tem referência "à sistemática, repetida e aparentemente dependente, prática de corrupção por determinados funcionários da estatal e agentes políticos que aparentam não atuar de outra forma senão através de atos lesivos ao Estado”, informou a PF.

Os presos e o material apreendido serão encaminhados à superintendência da PF em Curitiba.

Esta fase da Lava Jato acontece no dia seguinte à 29ª etapa da operação, deflagrada nesta terça-feira. Na ocasião, foi preso João Claudio Genu, ex-tesoureiro do PP e ex-assessor de José Janene, parlamentar paranaense morto em 2010.

Colaboração Polícia Federal