27°
Máx
13°
Min

Oficializado como candidato, Doria prega união interna no PSDB

Confirmado oficialmente como candidato dos tucanos à Prefeitura de São Paulo, o empresário João Doria fez discurso pregando a unidade interna do partido. Doria procurou colar sua candidatura ao governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político. Mas fez um movimento todo especial na direção do clã Covas, liderança tradicional do PSDB.

Além de ter como candidato a vice-prefeito o deputado federal Bruno Covas, neto de Mário Covas, Doria fez seguidas referências elogiosas ao vereador Mário Covas Neto, o Zuzinha, filho de Mário Covas.

Apesar disso, a candidatura de Doria é contestada por importantes figuras políticas do PSDB, como o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman, por exemplo. A crise política interna aberta depois da escolha de Doria provocou a saída do partido do vereador Andrea Matarazzo, que migrou para o PSD.

Durante seu discurso, Doria disse que o partido já estava unido e mandou mensagens conciliatória até para os políticos que contestam sua candidatura.

Alckmin

Num dos discursos mais duros que já fez contra o PT, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que "os treze anos do lulopetismo levaram o País a ser saqueado, literalmente".

Alckmin fez a crítica durante a convenção do PSDB que homologou a candidatura do empresário João Doria à Prefeitura de São Paulo.

Alckmin lembrou que existem hoje "12 milhões de desempregados" no Brasil. "É um período difícil. Se busca, agora, virar a pagina e reconstruí-la. Há um afastamento, um verdadeiro fosso entre o povo, a sociedade, a vida pública, a política. Tudo isso meio que está afastando as pessoas da política", disse, em referência aos efeitos provocados pelo período de hegemonia do PT no País.