24°
Máx
17°
Min

Operação Aletheia investiga obras em sítio e tríplex ligados a Lula

A 24ª fase da Operação Lava Jato, nomeada Operação Aletheia, foi deflagrada com base em investigações sobre a compra e reforma de um sítio em Atibaia frequentado pelo ex-presidente Lula, o fato de sua mudança ter sido transportada para o local e a relação desses episódios com empreiteiras investigadas, além da relação dele com um tríplex no Guarujá reformado pela OAS.

A investigação que atinge em cheio o principal nome do PT ocorre um dia depois de vir à tona a delação do ex-líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS) na qual o parlamentar afirma que a presidente Dilma Rousseff teria atuado para interferir nas investigações no Judiciário e de que Lula teria pedido para ele procurar o filho de Nestor Cerveró para evitar que o ex-diretor da estatal não implicasse José Carlos Bumlai.

Ainda segundo o senador, que foi solto recentemente pelo Supremo após ser preso em flagrante por tentar prejudicar as investigações, o ex-presidente teria demonstrado preocupação com as investigações da Operação Zelotes sobre compra de Medidas Provisórias em seu governo e que envolvem seu filho Fábio Luís Lula da Silva e pedido para ele evitar que os lobistas investigados no esquema fossem convocados para depor na CPI do Carf no Senado.

Abaixo, locais onde estão sendo cumpridos mandados:

Rio de Janeiro (Capital) - 2 mandados de Busca e Apreensão

Bahia (Salvador) - 5 mandados de Busca e Apreensão + 1 Condução Coercitiva

São Paulo

Capital - 18 mandados de Busca e Apreensão + 6 Conduções Coercitivas

São Bernardo do Campo - 5 mandados de Busca e Apreensão + 2 Conduções Coercitivas

Guarujá - 1 mandados de Busca e Apreensão

Diadema - 1 mandados de Busca e Apreensão + 1 Condução Coercitiva

Santo André - 1 mandados de Busca e Apreensão

Manduri - 1 mandados de Busca e Apreensão

Atibaia - 2 mandados de Busca e Apreensão + 1 Condução Coercitiva